O que você procura?

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

CORPO DE TENENTE DA AERONÁUTICA SERÁ SEPULTADO NESTE SÁBADO EM VARGINHA

Tenente da aeronáutica Mírian TavaresO corpo da tenente da Aeronáutica Mirian Tavares, que ficou desaparecida por seis meses, será sepultado neste sábado (29), em Varginha, no Sul de Minas Gerais. O Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte deverá liberar o cadáver nesta sexta-feira (28) para a família.

O corpo deverá ser sepultado pela manhã, por volta das 10h, segundo o Cemitério Municipal de Varginha. Antes, está agendada uma rápida cerimônia de despedida.

Localização

A tenente foi encontrada em 12 de novembro, em um carro caído em uma ribanceira, no Km 46 da BR-356, na Serra de Itabirito, no Centro de Minas Gerais. A mulher foi identificada a vítima pela digital dos dedos.

O IML terá até 12 de dezembro para concluir o laudo. Enquanto isso, a Polícia Civil continua a investigação sobre o desaparecimento da tenente, registrado em 3 de maio deste ano.

O responsável pela investigação, o delegado Thiago Saraiva, da Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida da PC, trabalha com três linhas de investigação para desvendar a morte: Acidente de trânsito, assassinato ou suicídio. Ainda não foi possível detectar se o corpo apresentava sinais de violência.

Desaparecimento

A tenente da Aeronáutica Mirian Márcia Rodrigues Tavares desapareceu em 3 de maio deste ano, após deixar sua casa no bairro Prado, região Oeste de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Civil, ela saiu da residência levando apenas o carro e o documento do automóvel.

A tenente chegou a fazer um depósito para a irmã antes de sumir e que deixou uma carta para a família. No entanto, o teor do recado não foi divulgado. Segundo informações da Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, as últimas ligações feitas pela tenente estão sendo investigadas e sua conta bancária monitorada. 

A assessoria da Aeronáutica esclareceu que a integrante da corporação desaparecida atuava como engenheira eletricista na Subdivisão de Infraestrutura do CIAAR. Ela estava há cerca de seis meses a serviço da Força Aérea Brasileira, que também auxiliou nas buscas. Além disso, a militar chegou a ser inserida na lista "Difusão Amarela" da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol), que busca por pessoas desaparecidas ou impossibilitadas de se identificarem nos 190 países abrangidos pela instituição.

FONTE: HOJE EM DIA
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: