Pesquisar este blog

Carregando...

.

.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

0

DUPLA É PRESA SUSPEITA DE ATEAR FOGO EM QUARTEL DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS

Suspeitos teriam sido reconhecidos em imagens do circuito interno do quartel

Dois homens suspeitos de atear fogo quartel da Polícia Militar em Santa Efigênia de Minas, no Vale do Rio Doce, foram presos no domingo (31). Eles foram detidos por porte ilegal de arma de fogo, mas teriam as mesmas características dos homens que aparecem nas imagens registradas pelo circuito interno de segurança do quartel pouco antes do incêndio que destruiu a unidade no último dia 24.

De acordo com a delegada Juliana Califf, da Delegacia Regional de Guanhães, os suspeitos negam qualquer envolvimento com o incêndio ao quartel da PM. Entretanto, familiares teriam confirmado que a dupla comentou sobre o crime em casa. 

— Há 15 dias eles furtaram armas de um delegado aposentado da cidade e foram presos e levados para o quartel de Santa Efigênia e depois para a delegacia. Eles foram liberados ao pagar fiança, mas teriam dito que não aceitavam ser presos por militares e que tirariam o quartel da PM de lá. 

Ainda conforme a delegada, os dois presos já foram ouvidos e encaminhados à Delegacia de Virginópolis. Entretanto, ela só deve divulgar a identidade dos envolvidos após a conclusão da análise das imagens registradas no dia do crime. Ela disse ainda que a Justiça já havia expedido mandado de prisão contra os dois, mas ele não haviam sido localizados. 

A suspeita de que o incêndio tivesse sido criminoso já teria sido ventilada antes mesmo do início das investigações. Isso porque, no início deste ano, alguém colocou fogo no portão da unidade policial, mas as chamas foram rapidamente controladas. Uma das hipóteses era de que o crime tivesse sido praticado a mando do prefeito da cidade, João Abnir Pinho, preso durante o Carnaval deste ano. 

— Essa era uma linha de investigação, mas foi completamente descartada. 

A reportagem tentou contato com o prefeito, mas ele não foi localizado. 

Entenda o caso

Na madrugada do dia 24, um incêndio destruiu completamente as dependências do quartel de Santa Efigênia de Minas. Foram queimados uma viatura policial, dois computadores, duas mesas, uma televisão, dois armários de arquivo, uma impressora, dois telefones, um cofre, três cadeiras e uma geladeira. Além disso, houve danos à estrutura do quartel.
FONTE: R7
0

DOAÇÃO DE SANGUE PARA O POLICIAL CIVIL PAULO CESAR OLIVEIRA

Solicita-se 20 doadores de sangue, de qualquer tipo, para o investigador da Polícia Civil PAULO CESAR DE OLIVEIRA. O policial encontra-se internado no Hospital João XXIII. As doações poderão ser realizadas no Hospital Júlia Kubitschek ou no Hemominas BH, localizado na Alameda Ezequiel Dias, nº 321, Santa Efigênia, BH. As doações poderão ser agendadas através do tel. (31) 3768-4500 ou 155. (INTRANET).

O subinspetor Paulo César Oliveira Mendes, de 47, o Paulão, do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DIHPP), tomou um tiro no rosto, durante o cumprimento de mandado de prisão de Peterson Mateus Silva Bastos, de 19, morador da Rua Maria Bitencourt, no Bairro Tijuca. Paulão reforçava a equipe do Delegado Delmes Rodrigues, da Homicídios Nordeste. Ele e os colegas foram recebidos a tiros por Silva e o comparsa Wagner Júnior Pereira Batista, de 20, o Gambá, também foragido da Justiça.
0

POLÍCIA IDENTIFICA TRÊS SUSPEITOS DO CRIME CONTRA POLICIAL CIVIL

Investigadora é morta ao ter o carro roubado no Bairro Nova Suíssa. Em outro caso, subinspetor toma tiro no rosto

Dois policiais civis foram vítimas de criminosos ontem na Grande BH. Pela manhã, a investigadora Maria Regina de Almeida, de 48 anos, se preparava para dar início a mais uma semana de trabalho. Levantou cedo, se arrumou, tomou café na companhia dos dois filhos, um adolescente de 15 anos e um rapaz de 21, e saiu. Mas ela não conseguiu ir muito longe. Assim que atravessou com seu carro, um Hyundai HB20 cinza, o portão da garagem do prédio onde morava, na Rua Monte Simplon, Bairro Nova Suíssa, Região Oeste de BH, foi rendida por criminosos armados. Maria Regina foi baleada no peito e no ombro. Ela chegou a ser socorrida, mas já deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Oeste com quadro de parada cardiorrespiratória e morreu minutos depois. Não se sabe se a policial civil, com mais de 24 anos de profissão e a um de se aposentar, reagiu. Pelo menos três suspeitos do crime já teriam sido identificados pela polícia.

Os filhos da investigadora foram os primeiros a encontrá-la baleada, caída na rua. Quando eles ouviram os disparos correram para ver o que havia ocorrido. Assim que chegaram na entrada do prédio, eles encontraram a mãe sangrando, já inconsciente, caída ao lado da arma dela. Uma viatura do 5º BPM chegou no local em seguida e socorreu a mulher.

Os bandidos já haviam fugido, levando o HB20 e a bolsa da vítima. Entretanto, o carro foi localizado logo após o crime, na entrada do Aglomerado Ventosa, a poucos quilômetros de onde Maria Regina foi baleada. Em menos de meia hora, o local foi tomado por cerca de 50 viaturas das policiais Militar e Civil. Mais de 100 policiais percorreram becos e vielas da favela. A princípio, a polícia trabalha com informações de que pelo menos três homens, traficantes do aglomerado, participaram do latrocínio (roubo seguido de morte). Os três já teriam, inclusive, sido identificados. 

Usando a tecnologia como ferramenta de trabalho, a foto e o histórico criminal de um dos supostos autores – Cláudio Cordeiro dos Santos, de 35, o Piui – foi passada rapidamente para os celulares de todos os policiais (investigadores, subinspetores, inspetores e delegados, soldados, cabos, sargentos, subtenentes, tenentes e capitão) envolvidos na missão de localizar e prender os responsáveis pela morte da investigadora. Helicópteros das duas corporações sobrevoaram o aglomerado, principalmente a mata que fica em um dos extremos da Ventosa, mas até o fechamento desta edição nenhum suspeito havia sido preso. 

O carro da vítima foi periciado ainda no local, onde foi abandonado. Peritos recolheram digitais encontradas no Hyundai HB20 para possível identificação do criminoso que roubou e conduziu o veículo. O delegado Jeferson Botelho Pereira, Superintendente de Investigação e Polícia Judiciária, disse que prisão dos autores é uma questão de tempo, que todos os colegas estão empenhados e que ninguém vai descansar enquanto não prenderem os responsáveis. “Já está sendo investigado como foi a dinâmica do crime, se a Maria Regina reagiu. As informações primárias é de que havia um veículo na cobertura e apenas um rendeu e baleou a investigadora. O estado nesse caso também é vítima. Por isso, a necessidade de termos uma resposta imediata”, disse o policial.

CONTAGEM - Enquanto ocorriam as buscas no aglomerado do Ventosa, em Contagem, na Grande BH, um outro policial civil foi alvo de criminosos. O subinspetor Paulo César Oliveira Mendes, de 47, o Paulão, do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DIHPP), tomou um tiro no rosto, durante o cumprimento de mandado de prisão de Peterson Mateus Silva Bastos, de 19, morador da Rua Maria Bitencourt, no Bairro Tijuca. Paulão reforçava a equipe do Delegado Delmes Rodrigues, da Homicídios Nordeste. Ele e os colegas foram recebidos a tiros por Silva e o comparsa Wagner Júnior Pereira Batista, de 20, o Gambá, também foragido da Justiça.

Houve uma intensa troca de tiros no endereço. Além de Paulão, Peterson Silva Bastos também foi baleado, tomou um tiro no pescoço e no braço e foi socorrido pelo helicóptero do Corpo de Bombeiros, para o HPS da capital. Gambá foi preso e, na casa onde ele estava com o comparsa, os investigadores encontraram uma barra de crack.

O delegado Wagner Pinto, chefe do DIHPP, disse ontem à tarde, que Silva é acusado da morte de Yago Ribeiro dos Santos, cometida em 2013, além de atuar no tráfico de drogas, assim como Gambá. “Trata-se de criminosos de alta periculosidade. O Peterson tem, inclusive, uma tatuagem acima do olho esquerdo, com o número 121, que é referente ao código penal para o crime de homicídio, e tem o desenho grande de um de palhaço no braço, o que, no mundo do crime, se refere a matadores de policiais”, informou o delegado.

Para o delegado Wagner Pinto a violência está exorbitante e há uma necessidade emergencial na mudança da leis que tratam os crimes no país. Ele defendeu penas mais rígidas e revisão do estatuto do armamento.

FONTE: UAI
0

DELEGADOS MARCAM MANIFESTAÇÃO EM HOMENAGEM À INVESTIGADORA MORTA EM BH

investigadora morre baleada no nova suíssa

Está marcada para esta quinta-feira (4) uma manifestação dos delegados civis da região Metropolitana de Belo Horizonte. O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Minas Gerais (Sindepominas) confirmou a informação, mas não deu detalhes sobre como será o protesto. O sindicato apenas informou que a manifestação será pacífica e que ocorrerá das 14h às 16h, na Grande BH, em homenagem à investigadora de Polícia Civil, Maria Regina de Almeida, morta nesta segunda-feira (1º), durante um assalto, no bairro Nova Suíça, região Oeste de Belo Horizonte. 

Maria Regina foi baleada enquanto estava em um veículo Hyundai HB20, na rua Monte Simplon, altura do número 720. Ela foi abordada por dois homens que estavam em uma moto. Conforme a Polícia Civil, os dois bandidos atiraram três vezes em direção à investidora. Após os disparos, um dos suspeitos fugiu no veículo roubado e o outro na moto usada no assalto.

A policial foi socorrida em estado grave e encaminhada para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Oeste. No entanto, ela não resistiu aos ferimentos e morreu pouco tempo depois de dar entrada na unidade de saúde.

Intenso rastreamento foi montado pela Polícia Civil na região e o carro da investigadora foi localizado, abandonado, em uma rua da Favela da Ventosa. Contudo, nenhum suspeito foi localizado e preso.

Outro caso

Em menos de 24 horas dois investigadores da Polícia Civil foram baleados. O segundo foi o subinspetor Paulo César Oliveira Mendes, de 47 anos, da equipe de investigadores da Delegacia Especializada de Homicídio Noroeste. Ele foi baleado no rosto, nesta segunda-feira (1º), durante uma troca de tiros no bairro Tijuca, localizado no limite entre as cidades de Contagem e Belo Horizonte.

Conforme a Polícia Civil (PC), uma equipe da Delegacia estava em operação no bairro Tijuca, quando foi recebida por tiros. Além do subinspetor, um suspeito foi atingido. O suspeito é Peterson Mateus Silva Bastos, de 19 anos, que estava com mandado em aberto por ter sido acusado pelo homicídio de Iago Ribeiro dos Santos, morto em 2013. 

Segundo Polícia Civil, Peterson tem duas tatuagens no corpo. Uma delas fica na sobrancelha e é uma referência ao artigo 121 do Código Penal, que discorre sobre homicídio. A outra é uma tatuagem de palhaço, possivelmente, uma alusão a matadores de policiais. 

Além de Peterson, Wagner Junio Pereira Batista, de 20 anos, é suspeito de ter feitos disparos contra os policiais. A dupla será autuada por tentativa de homicídio, tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas. Durante a operação, também foi apreendido um revólver calibre 38 e um tablete de crack. 

Segundo a PC, o subinspetor foi levado para o Hospital João XXIII e o estado de saúde dele é estável. Peterson foi atingido no pescoço e no braço e não há informações sobre o estado de saúde dele.

FONTE: HOJEEMDIA

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

0

15190 NO NORTE DE MINAS NÃO PODERIA SER DIFERENTE, CAMPANHA A TODO VAPOR...

AMIGOS DO NORTE DE MINAS MAIS UMA VEZ OBRIGADO PELO APOIO NA LUTA RUMO A VITÓRIA 15190










1

TRIANGULO MINEIRO ESTAMOS JUNTOS 15190

AMIGO DO TRIANGULO MINEIRO MUITO OBRIGADO PELO APOIO E CARINHO.... JUNTOS LUTANDO PELA VITÓRIA 15190





0

MAIS UM POLICIAL CIVIL É BALEADO NA GRANDE BH

O investigador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi atingido durante uma troca de tiros com bandidos

Mais um policial civil foi baleado na tarde desta segunda-feira, poucas horas depois que a investigadora Maria Regina de Almeida, 47 anos, morreu em um assalto em Belo Horizonte. O investigador trabalha no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e foi ferido durante uma operação da Delegacia Homicídio Noroeste no Bairro Tijuco, em Contagem, na Grande BH. Conforme a Polícia Civil, ele foi atingido durante uma troca de tiros com bandidos. Um dos suspeitos também foi baleado. 

Um equipe da delegacia de homicídios Noroeste fazia levantamentos no bairro quando avistou uma mulher que seria namorada de um traficante do Bairro Santa Terezinha. Ela foi abordada quando entrava em uma casa. Os policiais tentaram entrar no imóvel e foram surpreendidos por homens que estavam lá dentro. 

Houve troca de tiros e o investigador, que não teve o nome divulgado, foi encaminhado para o Hospital João XXIII. Um criminoso foi atingido no pescoço por um projétil e socorrido por uma ambulância do Samu. Devido à gravidade do ferimento, a ambulância foi interceptada e o homem foi levado de helicóptero para o João XXIII. O estado de saúde é grave. 

O outro criminoso que participou da troca de tiros foi preso próximo do Zoológico de Belo Horizonte. O nome do homem não foi divulgado pela Polícia Civil. 

De acordo com a Polícia Militar (PM), o carro do investigador, um Fiat Palio, ficou parado na Rua Maria Bittencourt, perto da divisa com a capital. Depois do tiroteio, o carro foi abandonado na via com as portas abertas. Pouco tempo depois do crime, diversas viaturas da PM e da Polícia Civil tomaram o bairro.
FONTE: UAI
0

RECOMENDAÇÕES DA CPO E DA CPP NA INTRANET

0

PLANO PERMANENTE DE COMPRA DE ARMAMENTO PARA O CORPO DE BOMBEIROS NOS MOLDES DA PMMG

O Deputado CABO JÚLIO solicitou ao Comando-Geral do Corpo de Bombeiros de Minas Gerias (CBMMG) a viabilidade de abertura de um plano permanente de compra de armamento de fogo nos moldes da Polícia de Militar. Confira o requerimento protocolado nesta segunda-feira (01/09).

0

ALMG VAI APURAR ASSÉDIO SEXUAL EM PATROCÍNIO: "ESTARIA A PM PASSANDO A MÃO NA CABEÇA DO DON JUAN"?

Deputado CABO JÚLIO protocola requerimento de pedido de audiência pública para apurar denúncias de assédio sexual contra duas policiais militares lotadas no 46º BPM em Patrocínio. 



0

EM MANHUAÇU, A CAMPANHA ESTÁ BOMBANDO.... VAMOS JUNTOS LUTAR PELA VITÓRIA 15190!

AMIGOS MUITO OBRIGADO PELO APOIO E CARINHO!













0

CAMPANHA 15190 A TODO VAPOR EM UBERLÂNDIA

AMIGOS MUITO OBRIGADO PELO APOIO E CARINHO!






0

HOMEM PROCURA PM E DIZ SER DONO DE 50 KG DE MACONHA ACHADAS EM CASA

aglomerado
Droga foi encontrada pela corporação após uma denúncia anônima; suspeito, de 29 anos, procurou companhia 1h depois da droga ser apreendida

Após 50 kg de maconha serem encontrados em uma casa no Aglomerado da Serra, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, e ninguém ser preso na tarde deste domingo (31), um rapaz de 29 anos procurou a companhia da Polícia Militar (PM) e se entregou afirmando ser proprietário da droga. Apesar disso, a denúncia inicial dava conta de que os produtos seriam de um outro homem, que seria um grande traficante da região. 

Segundo o tenente Mauro Lúcio, do Grupo Especializado de Policiamento em Áreas de Risco (Gepar) da 127ª Companhia do 22º Batalhão da PM, eles receberam uma denúncia anônima de que uma casa no beco Espera Feliz estaria servindo para o tráfico de drogas. A informação ainda dava conta de que a droga pertenceria à um traficante identificado apenas como Demar.

aglomerado"Assim que chegamos na casa fizemos buscas e encontramos uma caixa d'água repleta de areia. Após remexermos no conteúdo acabamos encontrando 37 barras de maconha, que devem chegar a até 50 kg de maconha", lembrou o militar. Uma jovem de 22 anos era a única pessoa presente na residência e informou que sua mãe poderia falar mais sobre o assunto. Os policiais ainda teriam descoberto que a mãe da jovem manteria um relacionamento com o traficante.

Uma outra pequena porção de maconha foi encontrada no banheiro da casa, escondida dentro do cesto de roupas sujas. Após mais de um hora, o dono das substâncias e a proprietária da casa ainda não havia aparecido na região e os policiais levaram a droga para a companhia onde a ocorrência seria registrada.

"Foi então que apareceu este homem, de 29 anos, que disse ser namorado da mãe e assumiu a posse da droga. Ele tem três passagens por tráfico. Ele procurou a PM para dizer que era o dono de toda a droga", disse, ainda espantado com a atitude do rapaz, o tenente Lúcio. O suspeito, que alega ser morador do aglomerado, mas que saiu recentemente de Nova Lima, foi preso em flagrante por tráfico de drogas. O caso será investigado pela Polícia Civil.

FONTE: O TEMPO
0

#15190ESTEJASEGURO



#15190ESTEJASEGURO
0

POLICIAL CIVIL MORRE APÓS SER BALEADA DURANTE ASSALTO EM BH

Mulher de 48 anos levou três tiros e foi levada para a UPA Oeste, mas não resistiu aos ferimentos

Uma policial civil de 48 anos morreu após ser baleada durante um assalto, na manhã desta segunda-feira (1º), no bairro Nova Suíça, na região Oeste de Belo Horizonte. O carro da vítima foi levado.

De acordo com a Polícia Militar, o caso aconteceu na rua Monte Simplon. Dois homens em uma motocicleta abordaram a mulher e exigiram o veículo.

Segundo a Polícia Civil, a mulher levou três tiros. O carro foi localizado no Aglomerado da Ventosa e, até o momento, ninguém foi preso. Militares do 22º Batalhão de Polícia Militar fazem rastreamento na região.

foi socorrida e encaminhada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Oeste, mas não resistiu aos ferimentos. Uma equipe da Civil acompanha o caso.

FONTE: O TEMPO - Atualizada às 09h04
 

BLOG OFICIAL DO CABO JÚLIO Copyright © 2011 - |- Template created by O Pregador - |- Powered by Blogger Templates