O que você procura?

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

FORMAÇÃO MAIS HUMANA AINDA É DESAFIO PARA AS PMS DO PAÍS

Nova lei que restringe uso de arma de fogo em algumas abordagens trouxe assunto à tona
Treinamento

Um policiamento eficiente pressupõe uma corporação bem treinada e aperfeiçoada. Mas alguns protestos recentes contra a truculência militar e a sanção da Lei 13.060/2014, que restringe o uso de armas de fogo por agentes de segurança em todo o país, despertaram para a necessidade de discutir novos modelos de atuação das corporações. Casos como o do pedreiro Amarildo, torturado e morto no ano passado por militares na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, aumentaram o clamor por uma polícia mais humanizada.

Especialista em segurança pública Robson Sávio Reis Souza acredita que é preciso mudar o conceito de policiamento no Brasil para que os militares se dediquem mais às pessoas. “Os policiais precisam se preocupar menos com as armas e as fardas e mais com as pessoas, em representarem um policiamento preventivo, e não puramente repressivo”.

Mas essa mudança de conceito precisa chegar à formação dos agentes de segurança. A reportagem de O TEMPO esteve no Centro de Treinamento Policial (CTP) da Polícia Militar (PM) de Minas Gerais, no bairro Prado, na região Oeste da capital, e constatou que o treinamento engloba vários cursos práticos, inclusive o de manuseio de armas não letais, como os teasers (eletrochoque), mas aulas de sociologia, direito e direitos humanos, apesar de fazerem parte da grade oferecida pelo centro, não são obrigatórias.

São nove salas de aula e um centro para preparação física. Os militares se revezam ao longo do ano, e sempre há alguma turma em formação no local. O CTP atende toda a região metropolitana de Belo Horizonte. Já no interior, o treinamento é feito direto no batalhão, mas com as mesmas técnicas utilizadas no CTP (...).

Além da formação ao entrar na corporação, todo policial, independente da patente, tem que passar por atualização a cada dois anos. Trata-se de um treinamento ministrado por militares especializados em várias esferas, como, por exemplo, primeiros-socorros, tiros e defesa pessoal. O subchefe do CTP, major Rommel Trevgnozoli, afirmou que, além da prática, existe um guia de procedimentos que deve ser seguido, com aulas teóricas sobre a abordagens e técnicas para evitar confrontos. (Com Rodrigo Freitas)

Avaliação

Teste. Além da obrigatoriedade de passar pela atualização bienal, os PMs mineiros têm que fazer uma avaliação. Se reprovados, têm dois meses para novo teste. Se não forem aprovados de novo, podem ir para o trabalho interno até conseguirem resultado positivo.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

4 comentários:

Ernandes disse...

O povo Brasileiro tem a Polícia que merecem. Os policiais são produtos do meio de uma sociedade. Os policiais serão formados e mais exigidos para tratar bem um povo que não possui nenhuma educação. Casos como o do pedreiro em questão são fatos isolados. Em um País onde pessoas inocentes são assassinadas todos os dias por mãos de bandidos, isso não chega a ser de alta relevância. Antes da Polícia o povo brasileiro é que tem que ser educado nos primeiros anos de escola sobre noções básicas de direitos e deveres, civismo, respeito às autoridades constituídas, como se portar no trânsito como motorista e/ou pedestre, e por aí vai. Se o povo fosse educado, não haveria necessidade da Polícia às vezes usar de força letal em ações policiais.

Adriano Conrado disse...

Acho que os especialistas fizeram curso na Europa e esqueceram de fazer estagio no Brasil, a realidade hoje no Brasil [e outra, o Policial esta sendo caçado nas ruas, a população e adestrada a infrentamento, o Brasileiro não estuda a constituição nas escolas, só conhece direitos, deveres que e bom neca. Os especialista ficam colocando a culpa na PM, muito fácil de falar, sobe uma favela no rio armado de Taser, vai no aglomerado da serra em BH e tenta argumentar sobre policia comunitária, hoje somos odiados pela população de comunidades carentes. Hoje a arma de apoio em boa parte dos lugares e a pistola, o fuzil e a arma principal, então o que tem que ser feito e uma reforma nas leis e no código penal, para que de condições aos policiais de serem respeitados novamente, não adiante o policial ser bem treinado se a população continua sendo agressiva contra o estado, resistindo a prisão atirando contra a policia. Fica a dica ai aos especialistas que nunca usaram uma arma ou que nunca saíram de trás das mesas do comando para ir trocar tiros contra vagabundos que não tem nada a perder.

Anônimo disse...

Em 2014 tivemos 60.000 (sessenta mil) assassinatos no Brasil (em tempo de paz).

Onde esses especialistas pensam que estão?

Primeiro temos que educar o povo, gerar empregos, fazer a economia crescer, diminuir a desigualdade social, refazer as leis penais para manter os criminosos mais tempo presos, estabelecer o ciclo completo de polícia.

Só então poderemos cobrar que nossas polícias (civis e militares) sejam eficientes e humanizadas.

Anônimo disse...

Já me cansei desse blá blá blá de policia bem treinada... acredito que a pm principalmente a de Minas e muito bem treinada e possui um excelente grau de intelecto, pelo menos 70% por cento das pessoas com fundada suspeita em que realizo abordagem possuem nível de escolaridade inferior ao meu, e deixo claro que não trabalho em aglomerados e dou busca em distintas classes sociais, muitos jovens entram numa faculdade particular, porem só alguns concluem, depois vem falar de educar a policia.Devemos solicitar a imprensa a educação da população hipócrita que o Brasil possui.