O que você procura?

quinta-feira, 7 de maio de 2015

ISONOMIA SALARIAL PM X PC

Tenho recebido várias indagações de colegas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros sobre a suposta possibilidade do Governo do Estado conceder um aumento salarial diferenciado ou exclusivo para a Polícia Civil em detrimento das corporações militares.

Em primeiro lugar é preciso reconhecer que a luta por melhores salários é um pleito justo de qualquer servidor.

No entanto é preciso relembrar que em 1997, a greve que culminou com a morte de um colega se iniciou justamente por um aumento diferenciado e tomou as proporções que todos conhecemos.

Em nenhum momento ouvimos publicamente qualquer compromisso do Governador Fernando Pimentel de conceder aumentos diferenciados à Polícia Civil. 

O último aumento salarial concedido às categorias da segurança pública foi capitaneada pelos integrantes da Polícia Militar e alcançou a todos, mesmo tendo sido provocado pelos militares.

Esclarecemos aos colegas que nenhum governante em sã consciência faria uma loucura dessas: conceder um aumento para cerca de 10 mil servidores e desagradar outros 80 mil da mesma área. E com certeza o Governador não fará isso.

Portanto quero tranquilizar aos colegas que isso jamais acontecerá. Respeitamos a Polícia Civil, mas entendemos que um tratamento salarial diferenciado causaria estragos de proporções incalculáveis e isso certamente colocaria nas ruas do soldado mais novo ao coronel mais antigo, cenário que não agradaria a ninguém.

Todo e qualquer aumento salarial discutido deverá ser extensivo a PM, BM, PC e SEDS.


Deputado CABO JULIO
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

53 comentários:

Gabrielle Amelia disse...

Gostaria de saber o porque ao invés de relatarem que a polícia civil busca um aumento diferenciado, não divulgam que está instituição está em busca da equiparação salarial de suas próprias carreiras, visto que para ingresso na carreira de escrivão e investigador exige a mesma escolaridade da carreira de perito, e a diferenca salarial é discrepante. Ao nobre deputado assim como outros oriundo da polícia militar deveria tentar fazer valer a lei que institui o curso superior para ingresso na carreira de soldado, mas que salvo engano só terá aplicação em 2020, a contragosto de muitos. Pois se assim o fizesse lutaríamos junto por tal reconhecimento. Ou será que a polícia militar e seus representantes só vão achar que mereceremos este reconhecimento após a aplicação da lei à esta insituação. E a polícia Civil, apesar de desde de 2010, está em vigor não pode buscar tal reconhecimento. LAMENTÁVEL.

Anônimo disse...

Por que em Brasília, onde são pagos os melhores salários às polícias, a polícia civil ganha mais que a militar?
Por que nos países onde existe a polícia estadual, e não duas como aqui, os policiais que trabalham com investigação ganham mais que os policiais fardados?

Renan Marinho de Sousa disse...

A equiparação entre peritos, escrivães e investigadores tem previsão legão na Lei Orgânica da Polícia Civil, mas ainda não foi cumprida. Enquanto a equiparação salarial entre policiais militares e Policiais Civis não tem qualquer previsão legal. Por que o Ilmo. Dep. Cb Júlio não está a favor da lei, no que tange a essa questão. Que estragos incalculáveis iria trazer o cumprimento da lei? Por que os policiais militares se incomodariam com o cumprimento do que é previsto em na lei orgânica de outra instituição? Onde está escrito que os salários da pm/PC têm que ser equiparados? Por favor nobre deputado: defenda as leis do seu estado ao invés de incitar os militares contra ela, pois isso pode causar uma crise institucional sem precedentes em que todos só temos a perder.

Anônimo disse...

Agora é requisito nível superior para todas as carreiras policiais civis, enquanto pata os Militares ainda vale o nível médio, essa equiparação salarial existe apenas em Minas Gerais enquanto nos demais estados a PC é melhor remunerada, portanto deveriam também buscar meios legais de fundamentar o aumento salarial isonômico, pois não seria justo alguém com nível médio receber o mesmo que alguém qualificado com o superior, apenas por supostamente "desagradar a maioria".
Militares tem vários benefícios que os ciis não possuem nem por isso a PC "empacou" a consseção destes.

Rodolpho Lourenço do Rio disse...

Deputado, ha que ser feita uma pequena correção. A última greve, que culminou nesse aumento gradual das forças de segurança do Estado, em verdade foi deflagrada pela Polícia Civil, tendo a Polícia Militar, através das suas Associações, haja vista que militar é impedido de fazer greve, encampado a ideia. Ainda, mister esclarecer que, a unificação em tese, entre as forças de segurança, deve ser vista somente no campo do combate e prevenção do crime. Concernente a pessoal e política remuneratória, cada Instituição deve ser livre para pleitear e se organizar autonomamente. Afinal, são instituições diferentes, com concursos diferentes, requisitos diferentes e com objetos diferentes. A Polícia Militar trabalha com prevenção do crime, enquanto que a Polícia Civil trabalha com a repressão do crime. são Instituições constitucionais e autônomas, então porquê em se falar em atrelamento salarial de uma à outra? O argumento de que são Instituições pertencentes a uma mesma Secretaria é falho e obtuso, cai por terra. Me parece, isso sim, que a PM não quer a valorização da carreira policial civil, atrelando-a equivocadamente a postos e graduações da carreira militar. A PM cuida do crime de forma ostensiva, a PC trabalha com inteligência. Onde há a maior complexidade no combate ao crime, onde se apura ou onde se enfrenta? não que o feito pela PM seja de menor importância, mas o trabalho deve ser remunerado de acordo com sua complexidade. Abraços.

Anônimo disse...

Muito me estranha a postura do nobre deputado igualmente a postura do deputado Subtenente Gonzaga em afrontar publicamente a polícia civil com esse tipo de matéria, os senhores que são representantes do povo, não só da polícia militar, deveriam ter um cuidado maior pois tais atitudes contrariam muita gente deixam pessoas tristes e ainda mais desmotivadas, pois esperamos de parlamentares como os senhores um cuidado maior com a segurança pública como um todo e não só com apoio integra e irrestrito ao polícia militar, pois senão vejamos, que igualdade existe entre pc e pms, é justo pegar carreiras como a de investigador e de escrivão e colocar como "boi de piranha" na tabela salarial da falsa igualdade salarial e nivelá-los no piso salarial enquanto delegados e peritos são equiparados no teto salarial. Pois bem sr. deputado se conheço bem sua história como sei que conheço, vossa excelência foi um líder de um movimento digno e justo de policiais militares que declararam greve contra aumentos diferenciados dentro da pm e agora contradizendo tudo que consta em sua história prega uma desigualdade dentro da policia civil, onde escrivães e investigadores devem ser lançado no piso salarial para assegurar o teto a delegados e peritos, ao meu ver isso é um absurdo.
Entendo que sua defesa em prol dos militares é justa politicamente, mais humanamente, me desculpe não tem nada de justa.
E como representante do povo que vossa excelência é os policiais civis gostariam de ver o sr. apresentar um projeto para diminuir essa diferença abissal que existe entre as carreiras da pc, onde um investigador classe especial tem salários menores que o perito nível I
No mais Sr. Deputado como é de ciência de vossa excelência um soldado pode chegar até major participando apenas de concursos internos, possibilidade esta que não existe na pc para escrivães e investigadores, e como também é de ciência de vossa excelência o salário de perito classe especial é menor que o salário de capitáo e de major, o que se houvesse uma equiparação na policia civil o soldado ainda tem a possibilidade de auferir salários maiores que dos escriães e investigadores.
Gostariamos que vossa excelência apresentasse um projeto para acabar com essa desigualdade, como por exemplo aumentando os níveis na carreira de investigador e escrivão e incluisse os cargos de subinspetor e inspeor na carreira, dando aos mesmos maiores atribuições e equivalendo aos salários de capitão e major, mesmo que para ocupar esses cargos tivessem concursos internos. Que toda delegacia de comarca tivesse obrigatoriamente os cargos de Inspetores e Subinspetores.
O que não pode Sr. Deputado e ficarmos desolados com materias como esta publicada em seu blog que alegram muitos mais também entristecem muitos, então gostaria de finalizar dizendo que IGUALDADE DEVE SER TOTAL E INTEGRAL TANTO NO PISO COMO NO TETO E QUE INVESTIGADORES E ESCRIVÃES NÃO CONTINUEM SENDO USADOS COMO "BOI DE PIRANHA" PARA ASSEGURAR UMA FARSA QUE ESSA IGUALDADE, ESPERAMOS DE VOSSA EXCELÊNCIA UM POSICIONAMENTO MAIS HUMANO E IMPARCIAL QUE É UM DEVER DE TODO SERVIDOR PÚBLICO POR DETERMINAÇÃO DA CF/88, E O QUE ACREDITO PLENAMENTE QUE PODE OCORRER POIS O SR. É UM HOMEM QUE TEM PLENO CONHECIMENTO DAS DUAS INSTITUIÇÕES

Anônimo disse...

Seria Justo uma interferência da Policia Militar nesse caso? Afinal a Policia Civil tem uma Lei Aprovada, 3 Grau para Ingresso na Carreira, existe uma decisão do STF que diz não poder se atrelar salário de Policia Civil com Militar, e ainda quando a Policia Civil interveio em alguma vantagem que a PM possa ter dito.
Com todo respeito, mas não seria ante ético a Policia Militar querer intrometerce acaso a Policia Civil consiga, e ainda Pq então a PM não aprova uma lei nos moldes da outra Policia.
Com toda humildade acredito que se a Policia Civil conseguir seria por mérito de anos de batalhas deles. E ainda não há isonomia entre os cargos, quem foi que disse que Investigador e Soldado é a mesma coisa. Olha é uma situação horrivel essa causada pela Pm, parece inveja.

Anônimo disse...

Com esse maldito abono permanência não está tento isonomia nem na PM!

SD PMES disse...

Quanto um soldado ganha depois que forma e vai pra rua ? ESta mesmo 4.100, se estiver para ganhar isso precisa fazer escala extra ou especial ? Sou sd pm no Espirito santo tenho 6 anos de viatura mas aqui promoção ta dificil e não tem reajuste salarial este ano. O salário aqui para sd 5 anos com especial esta 3.100, e sem especial 2.699. Abriu vaga para concurso na pmmg e quero muito fazer. Se puderem me esclarecer sobre promoção se realmente é automatica e sobre salario vai ser um alivio pra mim. Gosto muito de MG e queria morar aí, desde já agradeço aos colegas.

Anônimo disse...

Fechado como senhor, Dep. Cabo Júlio.

Esses neófitos tem de respeitar a gloriosa e bicentenária. Desde quando investigação se sobrepõe ao ostensivo? Só na cabeça deles. Desde quando os integrantes de um exército pode ganhar menos de que os seus neófitos coadjuvantes?

Fiquem quietinhos porque o ciclo completo de polícia para a gloriosa está chegando e ai...

Anônimo disse...

Parabéns Nobre Deputado por defender o que é certo, engraçado é ver tanto PC por aqui vão cobrar o Durval Angêlo!! kkkkkk

Heberth disse...

GAME OVER

https://blogdodelegado.wordpress.com/policia/stf-equiparacao-de-vencimentos-entre-pm-e-pc-e-inconstitucional/

Lucio Luiz disse...

Senhor dep. faço minhas as suas palavras, onde V. Ex. externa indignação a atitude das polícias militares de todo o Brasil, que na epoca em que o nobre cabo era dep. federal, testemunhou o loby dos comandantes contra qualquer demanda que beneficiassem as policias civis, determinando aos seus oficiais que comparecessem a Brasilia, fardados e recebendo diarias, para que pressionassem os legisladores contra qualquer benefício as PCs.
Compartilho tambem de vossa opiniao, externada no mesmo vídeo, onde o o sr. diz: Deixa o delegado ganhar 200 mil por mês... Depois que ele ganhar e tiver no bolso eu falo, agora quero ganhar igual...

"DEPUTADO CABO JÚLIO DIZ QUE POLÍCIA CIVIL É O PRIMO POBRE DA SEGURANÇA PÚBLICA DE MINAS" no YouTube - https://youtu.be/sVDBYuizojk


Mas o que vemos hoje é o sr. Dep. ir totalmente contra suas proprias palavras, se juntando a outros parlamentares, colocando uma arma na cabeça do nosso governador Fernando Pimentel, fazendo ameaças de um levante dos militares contra o governo mineiro.

Anônimo disse...

STF julga inconstitucional equiparação salarial entre Polícia Civil e Militar
Do portal do Supremo Tribunal Federal

Equiparação de vencimentos de policiais civis e militares catarinenses é inconstitucional

Foto: Gil Ferreira/SCO/STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta quarta-feira (4), declarar inconstitucionais trechos de leis de Santa Catarina que equiparavam vencimentos das corporações militares – como a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros – aos recebidos pelos policiais civis. Com a decisão na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4009, os militares catarinenses deixarão de ter um acréscimo no salário existente desde 1992.

Os contracheques das carreiras militares do estado ficarão mais enxutos a partir da publicação do acórdão do STF. Os ministros decidiram não retroagir os efeitos da declaração de inconstitucionalidade porque os militares que receberam salários a mais o fizeram de boa-fé, conforme previam as leis do estado. Além disso, a devolução dos vencimentos representaria insegurança jurídica e grandes prejuízos para os profissionais.

No julgamento da ADI, a tese que ganhou mais votos no Plenário foi a de que qualquer vinculação de salário entre carreiras distintas do serviço público fere o inciso XIII do artigo 37 da Constituição Federal. Ele veda a vinculação ou a equiparação de quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público.

Votaram nesse sentido o relator da ADI, o ministro Eros Grau, acompanhado dos ministros Menezes Direito, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Carlos Ayres Britto, Cezar Peluso, Celso de Mello e Gilmar Mendes. O voto do ministro Marco Aurélio foi favorável às leis catarineses. Já os ministros Joaquim Barbosa e Ellen Gracie se abstiveram de votar o mérito.

Inconstitucionalidade

A Associação dos Delegados de Polícia do Brasil (Adepol) havia pedido a inconstitucionalidade do artigo 106, parágrafo 3º da Constituição catarinense (que assegura a proporcionalidade da remuneração das carreiras com a de delegado de polícia); do artigo 4º da LC 55/92 (que assegura a adequada proporcionalidade das diversas carreiras com a de delegado especial); e do artigo 1º da LC 99/93 (que mantém a proporcionalidade estabelecida em lei que as demais classes da carreira e para os cargos integrantes do grupo segurança pública – Polícia Civil).

Por consequência, foi declarada a inconstitucionalidade de partes da Lei Complementar 254/2003 (alterada pela LC 374/2007): o parágrafo 1º do artigo 10 e os artigos 11 e 12. O único artigo impugnado pela ADI que permaneceu válido foi o 27 desta última lei.

O artigo 106 da Constituição catarinense, o artigo 4º da Lei Complementar (LC) 55/92 e o artigo 1º da LC 99/93 já haviam sido suspensos cautelarmente por decisão do Supremo, na análise da ADI 1037, ressalta a associação.

O argumento da Adepol para pedir o fim da vinculação foi o de que, no Brasil, o delegado cuida da instrução pré-processual, com poder de decidir pela liberdade ou prisão de alguém. A função, portanto, seria muito diferente da missão dos policiais militares, que têm como atribuição manter a ordem pública. As informações são do portal do Supremo Tribunal Federal.

Processos relacionados
ADI 4009

Leia também:

Adepol questiona equiparação salarial entre delegados, oficiais da PM e peritos criminais paulistas
Efeito dominó
Delegados paulistas contestam equiparação salarial no Supremo

Anônimo disse...

É um engodo alegar que em outros países policiais que trabalham em investigação ganham mais que os ostensivos. Sou um estudante assíduo de polícia comparada. Entendo bem o modelo dos EUA. Veja bem, ocorre que nos Estados Unidos, especificamente em Los Angeles a atividade de detetive é exercida por policiais especializados: patrulheiros após cinco anos vão prestar um concurso para detetive. O salário de um detetive é cerca de 110.000 dólares. Contudo, existe polícias ostensivos nível 3 (5 anos de serviço) que ganham bem próximo a isto (cerca de 100.000) e existe policiais ostensivos (sargentos, tenentes e capitão) que ganham mais do que detetives. Alias, para ser chefe de delegacia, você nunca precisará ter trabalhado com investigação, podendo seguir uma carreira totalmente no ostensivo, inclusive comandando os detetives. Lembre: detetive, no começo de carreira lá ganha um pouco mais, porque já é alguém com experiência que trabalho na rua por cinco anos e fez um concurso interno. Contudo, esta diferença desaparece com um tempo. Ok?

Anônimo disse...

Outra mentira:

Polícia civil trabalha com inteligência e polícia militar apenas com prevenção. A teoria moderna de polícia no mundo inteiro é unificada: não divisão entre inteligência, ostensivo e investigação. É impossível trabalhar com atividade de polícia ostensiva sem inteligência policial, afinal de contas, como você irá direcionar a prevenção se não captar informações do foco do crime? Veja bem: através de denúncias e inteligência, chegamos ao local antes do crime ocorrer e efetuamos a prisão em flagrante. Não confunda polícia ostensiva com VIGILÂNCIA OSTENSIVA. A PM sempre trabalhou e sempre trabalhará com inteligência policial e isto ocorre no âmbito dos patrulheiros mesmo.

Anônimo disse...

Um colega acima disse que o salário tem que ser remunerado de acordo com a complexidade. Ok, complexidade esta diretamente relacionado a risco. Então vamos lá:

Quem realiza o trabalho mais arriscado? Quem esta exposto ao trabalho mais estressante e com risco de ser alvejado? Qual atividade é mais propícia a ocorrer uma falha, como uma morte de pessoa por erro ou prisão ilegal? Qual policial tem mais probabilidade de ser preso ou exonerado (excluído) por falhas? Qual policial que tem que raciocinar dinamicamente em poucos segundos decidindo se atira, se prende ou se não faz nada? Qual trabalha no ambiente mais inóspito sob pressão e risco de ter sequelas mentais ou físicas?

Fica óbvio qual atividade é mais periculosa. Complexidade amigo, não esta relacionado somente a trabalho burocrático mas também ao risco.

por outro lado, veja que o boletim lavrado pelo PM tem que ser muito bem fundamentado e amparado, porque tal peça irá parar nas mãos de delegados, juízes e promotores. Portanto, hoje o ideal seria todo soldado ser formado em direito: pois além de ser uma atividade multidisciplinar, que inclui inclusive área da psicologia humana, deve ser um especialista em leis penais.

Portanto, concordo que cada polícia tem que correr atrás dos próprios salários. Acho que se a civil conseguir por seu próprio mérito o aumento, não sou contra, não devemos empacar seus ganhos. Contudo, daí dizerem que tem que receber melhor por sua atividade ser mais complexa, acho que é um mito por completo. PM lida com toda legislação penal e extravagante dinamicamente, na rua mesmo (longe de uma sala com ar condicionado e tempo para raciocinar), lidando com legislação de trânsito, penal e ambiental. É sem dúvidas é o serviço mais PERICULOSO. Portanto, concordo que atividade tem que ser remunerada na extensão da carga de stress e periculosidade.

Anônimo disse...

Por fim, embora tenho exposto que tanto PM e CIVIL devam sim ser bem remunerados, inclusive em padrões proporcionais, pois não concordo com alegação que a atividade PC é mais complexa do que a da PM, sou sim favorável ao pleito atual da PC que busca isonomia interna entre as atividades de investigadores e peritos, pois toda classe tem direito a lutar por melhoria remuneratória, e não acho que deve haver interferência e sim devemos buscar nossa melhoria salarial.

Anônimo disse...

Se quem corre mais risco deve ganhar mais, entendo que o pedreiro deve ganhar mais que o engenheiro. Abraço

Lucio Luiz disse...

Uma pergunta que não quer calar, será que os policiais militares iriam concordar com interferências externas para mudanças internas????

Serás que os "nobres" deputados militares iriam ficar passivos ao verem que uma instituição quer delimitar mudanças e melhorias na sua instituição?

Anônimo disse...

Senhores,

A ação direta de inconstitucionalidade em questão e sobre equiparação LEGAL, ou seja, em forma de lei por vínculo entre as instituições. Ou seja, o Estado de Santa Catarina criou uma LEI VINCULANDO os salários da PM e PC daquele estado. Obviamente, em matéria de lei formal, isto é inconstitucional. Contudo, em Minas isto não ocorre. Não há uma LEI vinculando os salários das PMs e PCs mineiras (se alguém souber, dê o acesso aqui). O que tem é nada mais do que UMA POLÍTICA DE GOVERNO em manter os salários equiparados. Em relação a isto, não há ilegalidade ou inconstitucionalidade nenhuma, pois em matéria de política, o governo executivo é competente e autônomo. Inclusive, a interferência de outro poder vai contra a separação de poderes e autonomia do Estado, afinal, como o supremo ou STJ vai forçar o Governo do Estado de Minas Gerais modificar os salários das instituições sob o pretexto de equiparação? Pode o poder judiciário determinar o rebaixamento ou aumento compulsório dos salários? Nunca. No mais, esclareço que a equiparação política não ocorrer somente em Minas Gerais, mas também em outros Estados e inclusive em âmbito da União (veja bem, equiparação entre PRF e agentes PF, ou mesmo em PCDF).

Por fim, sou totalmente favorável a busca da polícia civil por melhores salários, sem interferência de outra classe. Contudo, certo é certo senhores, e não inconstitucionalidade em EQUIPARAÇÃO POLÍTICA, e sim equiparação por VINCULAÇÃO EM LEI, e simplesmente esta lei não existe.

Anônimo disse...

Sd PMEs,

É o seguinte, após o curso de formação o salário é realmente
R$ 4.100, 00. Quanto a promoção, existe duas formas: por tempo e por prova interna. A por tempo é de 8 em 8 anos, até 3 sgt, depois diminui. Se vc tiver mais interesse, posso te passar informações via email.

Rodolpho Lourenço do Rio disse...

Deplorável esse comentário... Está dizendo então que vale mais apenas ser um orangotando do que um intelectual? Típico classista...

Rodolpho Lourenço do Rio disse...

O que é certo? Uma Instituição se meter nos interesses da outra? O stf já decidiu amigo, a equiparação salarial PMxPC é inconstitucional...game over...

Rodolpho Lourenço do Rio disse...

Colega, sua tese acima está muito bem fundamentada, porém divorciada da realidade fática. A todo o momento vc aduz que o trabalho ostensivo é periculoso e concordo, mas dizer que o perigo é constante aí discordo. Conforme sabemos, o nível de periculosidade do crime em MG está anos-luz abaixo daquilo que vc pincela aqui. O nível de estresse, raciocínio rápido e outros adjetivos por vc utilizados, somente ocorre em momentos pontuais, de confrontação com o criminoso. O seeviço burocrático, como colocado por ti, ao contrário, é deveras estressante, uma vez que somos cobrados, a todo o tempo por Juízes, Promotores e afins, acerca de prazos e conclusão de Inquéritos em conformidade com a Lei. Se não investigamos e concluímos um Inquérito no prazo legal, o preso e posto em liberdade, tendo sua prisão relaxada e os autos são remetidos para a Corregedoria, visando a aplicação de punição para o responsável. A obrigação da polícia militar é prender o infrator e conduzí-lo até uma delegacia. Se feito em conformidade com a Lei, não há o que se temer. Agora o trabalho de investigar, tipificar corretamente e denunciar, cabe a polícia civil, então, aí, querendo ou não, está a maior complexidade. Outra coisa, percebo que não tens conhecimento da vida numa delegacia, onde o ambiente é insalubre, respira-se drogas apreendidas diariamente e não há o mínimo de segurança e equipamentos para se exercer o ofício. Ar condicionado? Só se for em gabinetes de Oficiais superiores, porque normalmente, em Minas sequer existe uma delwgacia propriamente dita, são casas adaptadas. Abraço.

Anônimo disse...

Comparar guardas a verdadeiros policiais é foda.
A PM devia parar de ficar na nossa aba e lutar pelos interesses próprios. Pena que isso jamais ocorrerá.

david paulo disse...

Meus caros.

Sou da PMMG e sou contra nossa interferência em qualquer pleito interno em relação a igualdade salarial entre investigadores e peritos. Gostaria de saber dos meus nobres colegas de trabalho, o que nos temos haver com isso? Deixem os colegas da PC brigarem pelo que acham justos e vamos brigar por um projeto que melhore nossos salários também. Pra mim a ignorância de alguns prejudica a todos.So no Brasil mesmo para uma classe lutar para que outra não receba aumento.Nunca vi tanta burrice. sr.CABO JULIO, VOCÊ NÃO ME REPRESENTA E FICA ESPERTO PARA NÃO APANHAR DA ESPOSA QUE É DELEGADA VIU.

Anônimo disse...

Um anônimo disse:

"Se quem corre mais risco deve ganhar mais, entendo que o pedreiro deve ganhar mais que o engenheiro. Abraço."

Comparação infeliz: engenheiro e pedreiro trabalham para a mesma empresa e portanto, deveriam correr o mesmo risco.

Pois meu caro, isto não ocorre porque o engenheiro é chefe (atividade de planejamento, controle, concepção e projeto) e o pedreiro subordinado. Contudo, comparação infeliz, porque quem disse que em uma obra o engenheiro não corre riscos? Claro, chefia, no geral, sempre corre menos risco do que os cargos de execução. Portanto, policiais civis não são chefes das PMs, logo, investigadores e escrivães não são análogos a engenheiros, esta comparação só faria sentido considerando análogo engenheiros cargos de chefia que planejam e coordenam atividades.

Quer um exemplo de atividade de risco que ganham mais do que atividades acadêmicas e burocráticas (profissões tradicionais)?

O piloto da aviação civil, área técnica, prático (manobra de navios em portos, salário de 130.000, isto mesmo, pode chegar a cento e trinta mil), mergulhador petrobras (salário médio de 12000 a 15000). Salário muito superior a média do salários de dentistas, médicos, engenheiros e advogados.

Portanto amigo, se existem duas profissões com complexidade inerente ao RISCO DE VIDA, do profissional e da vida alheia, e elas estão em NÍVEIS CORRESPONDENTES (execução, por exemplo) esta tem que ser muito bem valorizada.


Portanto, a sua afirmação só seria válida se os "engenheiros" fossem os chefes em uma mesma instituição de "pedreiros", e isto não é verdade. Contudo, conheço muito mestre de obra que ganha mais que engenheiro.

POR FIM, CORRIGINDO A SUA IDEIA:

Entre dois pedreiros, aquele que corre mais risco tem que ser melhor remunerado.

Repito: complexidade também esta relacionado com periculosidade. há algo mais complexo do que lidar com vidas e liberdades individuais ?

Anônimo disse...

Rodolpho,

Acho que este assunto já esgotou. Finalizando, não estou negando que o trabalho burocrático é estressante e não deva ser bem remunerado, inclusive, com a sua periculosidade inerente. Só não concordo em adjetivar uma atividade como melhor, em detrimento da outra. Todas tem o seu mérito e complexidade inerentes, portanto, devendo ser bem remuneradas.

E repetindo, acho que o pleito da PC é totalmente justo! Vocês devem sim buscar por melhoria salarial, e se a equiparação entre os investigadores e peritos for o melhor caminho, desejo sorte a todos os PCs. O que eu não concordo é diminuir em importância uma atividade em relação a outra, pois todos somos fundamentais no sistema de segurança pública.

Abraço a todos!

Anônimo disse...

SD PMES se vc quiser deixar email, posso esclarecer suas dúvidas.

Anônimo disse...

Não sou Pm, mas há meses a PC da minha cidade tá em greve.
Não trabalham e querem aumento?

Anônimo disse...

Engraçado. ..vc percebe o tanto que a Polícia Civil é desunida, egoísta e produz pouco que os próprios Peritos e Médicos Legistas, com os os quais Escrivães e Investigadores querem equiparação salarial, desejam autonomia e independência ao lutarem há anos pela separação. Para começarem a ganhar melhor, comecem primeiramente a trabalhar melhor e prestar um melhor atendimento à sociedade que repudia a Polícia Civil e o seus péssimos serviços prestados não cumprindo o dever kegal com excelência ...só querem saber de ganhar bem...mais nada! Olhem para os demais salários do Estado e valorizem o estão ganhando agora... Um Médico Perito da Seplag, um Auditor da Controladoria Geral do Estado ou qualquer cargo de nível superior do Executivo Estadual ganham menos que Investigadores e Escrivães. Reclamam de barriga cheia! O serviço do soldado com ensino médio é mais bem prestado e feito com mais competência, dedicação e amor do que o de vocês!

Anônimo disse...

Muito interessante a discussão.Nem vou entrar no mérito da questão da periculosidade. Não há que se comparar a periculosidade do trabalho de um policial do DEOESP com o de um PM da cidade administrativa. Além disso, se periculosidade fosse parâmetro de salário, juízes e médicos receberiam menos que policiais, pois o trabalho dos policiais é muito mais perigoso. O argumento do colega é totalmente descabido.

A verdade, os fatos que nenhum PM jamais aborda, são muito simples. O fato é que a PMMG recebe os maiores salários do país, e a PCMG recebe os piores.

Em Minas, existem oficiais recebendo salários de R$26.000,00. Em nenhum estado, nem mesmo no Distrito Federal, coronéis recebem esse salário. O salário inicial do praça, aqui em MG, também é dos maiores do país. Aqui mesmo, neste blog, há um praça do Espírito Santo incrédulo com o salário da PMMG.

A Polícia Civil de Minas Gerais, por outro lado, recebe os piores salários do país.

A realidade é simples e clara. Em todo o país, os Policiais Civis recebem salários que chegam a ser o dobro do salário inicial de um praça. Em Brasília, capital federal, o salário inicial de um Agente de Polícia é equiparado ao salário de um 1o Tenente da PMDF.

Isso é um fato.

É tudo muito óbvio. O salário de R$4.098, para um praça, é altíssimo e, no ranking salarial das polícias militares, coloca a PMMG em excelente posição. Esse mesmo salário de R$4.098, para um Investigador de Polícia, é baixíssimo, e coloca a PCMG no último lugar dos ranking salarial das polícias civis.

Mas a PM mineira finge ignorar esta realidade tão gritante. Não há qualquer resposta da PM de Minas a estas questões. Fazem ouvido de surdo.

Como mineiro, acho que a PMMG, como todos os seus defeitos, merece o que estão recebendo. Merecem este salário, que está entre os mais altos do país.

Só que a PCMG também merece a mesma consideração. Os policiais civis mineiros também merecem melhorias salariais.

A PMMG, ao gritar, chorar, espernear, parece querer que a Polícia Civil de nosso estado continue ganhando mal. É isso mesmo? Os PMs, que estão recebendo os mais altos salários do país, querem que a Polícia Civil de Minas Gerais continue recebendo os piores salários? É isso?

Pois saibam que a equiparação entre PM e PC é ilegal. Saibam que a Lei Orgânica da PC, já em vigor, institui a paridade salarial entre peritos, investigadores e escrivães. Não há que se aprovar nada, basta o governo cumprir a lei vigente. Saibam que, mais cedo ou mais tarde, as coisas vão ser colocadas em seus devidos lugares em nosso Estado.

Anônimo disse...

A PM tem 50...60 mil homens e a PC tem 9 mil. Olhem a estrutura dos prédios de uma instituição e compare com as da outra.
Vc, cidadão, realmente acredita que dá para comparar se o trabalho de uma é cumprido de acordo com o da outra?

Analisando o trabalho precípuo da PM, policiamento to ostensivo, sem esses malabarismos filosóficos, o que vemos: um PM na esquina, segurando um cacetete. Uma viatura rodando de um lado pro outro. Um PM cavalgando na avenida Augusto de Lima. Existe complexidade nisso? Sim. Alguma complexidade existe.

Analisando o trabalho investigativo da Polícia Civil, basta consultar um dicionário. Investigar é estudar, analisar, apurar. Envolve lógica, ciência, tecnologias diversas. Ah, é verdade. A PC não está fazendo quase nada. Mas não faz porque não quer ou não faz porque está completamente sucateada?

A diferença é que investigar é um trabalho gostoso demais! A titulo de exemplo, 90% dos filmes de ação mostram trabalhos de investigação de uma equipe policial. Investigar é tão bom que até o MP briga por isso e agora conseguiu, com o aval do STF.

Já o trabalho da gloriosa PM, apesar de importantíssimo, já que não é só evitar o crime, mas exercer a polícia administrativa por excelência, não me parece muito atraente. Se perguntar pra qualquer pessoa na rua, desde que ela tenha um mínimo de discernimento, ela vai saber que o trabalho investigativo (reconhecidamente de natureza tecnico-juridico-cientifica) exige maior aplicação do cérebro e não do braço.

A PM quer investigar com os p2. A PM quer fazer tco. Eu não quero andar a cavalo, a menos que seja na fazenda do meu avô.

Por fim, toda vez que abre concurso pra Civil, lá estão centenas de PMS se inscrevendo. E tá difícil passar, né?!
Quando abre concurso pra PM, algum civil faz?

Anônimo disse...

Nossa, trabalhar com investigação é tão bom que não penso duas vezes entre trabalhar com ela ou ser patrulheiro na PRF. Brincadeira, o cara acha que ser policial ostensivo é fácil!!

Anônimo disse...

É compreensível o receio que os colegas da pm têm de que conquistemos a paridade com os peritos. Afinal, temos embasamento para isso. Nossa lei orgânica é muito clara, e hj não há nenhuma razão para que os peritos ganhem mais que nós.
É importante frisar aos colegas milicianos que não é somente o terceiro grau que nos deu tal vislumbre de conquista, mas uma série de outras garantias que estão lá na nova lei orgânica. Vale a pena conferir!
Lado outro, ao conquistarmos a paridade salarial, que é o único passo que falta (uma vez que paridade hierárquica e paridade de reconhecimento da natureza dos trabalhos já estão garantidas em lei), acredito que os colegas militares ficarão sem base para reivindicar junto ao governo alguma equiparação conosco.
Deve ser chato mesmo...
Abraço a todos!

Anônimo disse...

Olhem o comentário desse "nobre PM"
"Fechado como senhor, Dep. Cabo Júlio.

Esses neófitos tem de respeitar a gloriosa e bicentenária. Desde quando investigação se sobrepõe ao ostensivo? Só na cabeça deles. Desde quando os integrantes de um exército pode ganhar menos de que os seus neófitos coadjuvantes?

Fiquem quietinhos porque o ciclo completo de polícia para a gloriosa está chegando e ai..."
Saiba cidadão que esse blog, não é alcançado apenas pelo clube meliciano, o cabo júlio é político, e bem que fosse só pra vcs, já que postam idéias preconceituosas contra policiais civis, já que não quer nossos comentários, não se preocupem com nossa luta salarial. Agora, ameaças vãs, o governador tá "cagando e andando" viu sr cabo júlio!

Anônimo disse...

A TODOS PM'S INDIGNADOS E COM MEDO DE AUMENTO DIFERENCIADO PARA A POLICIA CIVIL: VAI ESTUDAR E FAZER CONCURSO PARA A PC, EM VEZ DE FICAR LAMENTANDO, OLHA O NÍVEL!

Anônimo disse...

Sr. Deputado, a Polícia Civil de Minas Gerais há muito respira com a ajuda de aparelhos. É fato que a corporação não desenvolve a atividade de Polícia Judiciária com denôdo e eficiência e a sua principal atividade o desenvolvimento do procedimento administrativo - Inquérito Policial - não é realizado a contento. Todavia V.Exa foi infeliz em seu comentário, tratar desigualmente os desiguais na medida de sua desigualdade, também é manifestação do princípio da isonomia. Exigir igualdade entre a PM e PC é capitulação que toca as raias da covardia. A nossa assistência a saúde inexiste, não poucos Policiais Civis contribuem com planos de saúde para que seus familiares tenham alguma dignidade, realidade não enfrentada por Policiais Militares que contam com o Hospital da Policia Militar, com ótima estrutura e excelentes profissionais. Outros programas que auxiliam Policiais Militares sequer existem para Policiais Civis. Não é colocando obstáculos no caminho da Policia Civil que os Militares irão prosperar em seus desígnios e propósitos. Sempre fui vã de V.Exa., sempre fui seu eleitor, admiro a sua trajetória como admiro a história do rei Davi, vejo traços de semelhança. Não atrapalhe uma conquista tão importante para a família dos Policiais Civis, aprove, apoie, e crie estratégias para que o mesmo ocorra com a Polícia Militar, a começar com as inúmeras relações hierárquicas entre os cargos. Prepare o terreno e depois semeie. Não espalhe pragas em plantações alheias, isto é mesquinho demais para um homem com uma trajetória tão bonita quanto a do Senhor.

Anônimo disse...

Que discussão inócua PMxPC...Meter o dedo no projeto dos outros...Que falta de criatividade legislativa...

Anônimo disse...

A discussão interna na policia civil sobre a equiparação salarial poderá trazer para a policia militar e demais órgãos da segurança pública de Minas Gerais, uma melhoria considerável. Uma coisa é fato, em Minas Gerais há isonomia de remuneração. Ora, isso quer dizer que, se ocorrer a equiparação salarial entre policiais civis, deverá também ocorrer um aumento isonômico entre as carreiras da segurança pública. Entendo que, lutar contra a equiparação salarial é dar um tiro no pé e ao mesmo tempo retirar dos policiais militares e demais órgão da segurança pública a possibilidade de conseguir uma isonomia com aumento salarial para todos da segurança pública em futuro próximo. Entendo ainda que, com todo respeito, dos que pensam de forma contrária, torcer contra a equiparação salarial, é ter uma visão egoísta e ao mesmo tempo engessar a possibilidade da policia militar e demais carreiras de procurar melhorias remuneratórias consideráveis através do pleito da isonomia assim que eles conseguirem a equiparação. Uma equiparação salarial abriria uma brecha para que pudéssemos exigir aumento salarial através da isonomia. Qualquer carreira da segurança que eleve o teto remuneratório deverá ser seguido pelas demais carreiras da segurança pública. Deixemo-nos os ciúmes de lado para que todos nós da segurança pública consigamos uma remuneração decente em um futuro próximo através do tratamento isonômico.

Anônimo disse...

Caro deputado, vossa senhoria acaba de perder meu voto é de meus familiares. Nem vou mencionar a distância técnica do cargo do policial civil e do militar, isso é chover no molhado.

Anônimo disse...

todos voces deveriam se orgulhar de seus trabalhos e realmente brigar por melhores salários, enquanto brigam entre si, carcereiros ´´ou agentes penitenciarios`` sem concurso, estão ganhando mais que todos voces, tem carros novos, ganham periculosidade, diarias, auxilio-alimentação e outras benesses que voces não tinham quando cuidavam dos mesmos presidios que foram repassados, porém sem nenhuma estrutura á época , e não fazem jus a ganhar o mesmo que voces.

Anônimo disse...

Nunca li tanta asneira. Para com isso meu nobre, preocupe-se em fazer seu trabalho para o qual é pago (legislar). Pm é Pm e PC é PC. Se a Pm quiser ganhar 20 mil inicial, ótimo, mas tira o "zóio" da PC.

AGNALDO disse...

É MUITO TRISTE CONSTATAR A ANIMOSIDADE PRESENTE NOS COMENTÁRIOS DE POLÍCIAS CIVIS E POLICIAIS MILITARES. É ESTÁ UMA DAS SITUAÇÕES QUE IMPEDEM A INTEGRAÇÃO PLENA. COM RELAÇÃO AOS COMENTÁRIOS DO DEPUTADO EX PM, FOI EXTREMAMENTE INFELIZ, NÓS DA PC NÃO QUEREMOS AUMENTO DIFERENCIADO, QUEREMOS QUE SEJA FAÇA JUSTIÇA SALARIAL EM DECORRÊNCIA DA EXIGÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR PARA CARREIRAS QUE ANTES SÓ EXIGIAM NÍVEL MÉDIO. APESAR DA NOVA EXIGÊNCIA EM ESCOLARIDADE, ESCRIVÃES E INVESTIGADORES CONTINUAM GANHANDO SALÁRIO DE NÍVEL MÉDIO. NADA MAIS. O RESTO É CONVERSA.

Anônimo disse...

POLICIAL MILITAR FAZ CONCURSO PARA ENTRAR NA PCMG.
NENHUM POLICIAL CIVIL NUNCA FEZ CONCURSO PARA A PMMG.

CONTRA FATOS NÃO HÁ ARGUMENTOS.

LIXO!

marcelo santos de carvalho disse...

É com muita tristeza que vejo tais agruras entre duas instituições que buscam o mesmo fim, a segurança pública. Ficar discutindo quem e mais importante é uma atitude muito imatura, pouco inteligente.
Ficar dizendo que os policiais que se ocupam com as investigações em outras forças peli mundo é melhor que o ostensivo é bobagem.
Em muitas delas a estrutura é hierarquizada militarmente e o investigador é uma função. Ficar comparando com eles acaba sendo um tiro no pé dos nobres policiais civis.
Entendo que devemos ter a humildade em ambas forças policiais.
É inegável que os movimentos encabeçados pela PM apartir de 1997, levou a ambas instituições os benefícios salariais que possuímos hoje. De forma que, esta luta solitária da PC leva a tropa da PM certa indignação pelo sentimento de estarmos sendo traídos por um irmão caçula, que, menor, recebeu algumas recompensas pela luta do irmão maior. Agora, vêm este irmão pródigo , virando as costas, bbuscando seu bem particular.

Anônimo disse...

É gozação achar que investigador deve ganhar mais que um soldado. Pelo contrário, um soldado deveria ganhar bem mais. Vemos investigadores como "Funcionário da MGS com porte de arma".

Anônimo disse...

Fazer bo é muito mais dificil que uma investigaçao ... pode crer.

O BENTO disse...

Meu caro ignorante, nao é possivel cobrar bom atendimento de uma corporaçao que apresenta 50%de déficit no efetivo, onde a pouco tempo nao havia um delegado ppr comarca, a PCMG na faz cncursos todos os anos como os militares, os militates sao unidos uma ova que sao, o militarismo é que os controla , ja a policia civil esta sucateada a anos...e esse negocio de igualar PM , investigador e agente penitenciario , um dia vai dar merda.....é so esperar....

Anônimo disse...

Infeliz o comentário do nobre deputado. Indagar uma incolumidade ou rechassar uma idéia revolucionista para ganhar voto. Gostaria de salientar que ao invés de procurar "PUXAR O SACO" dos imperialistas Coronéis, que façam uma idéia de que o CURSO SUPERIOR para ingresso na carreira, nada mais que um carater de privilégio salarial, além de que a luta ganha pelos policiais civis, na verdade ainda é considerada em vão, até porque, quando este privilégio chegar até aos policiais militares, ai sim, todos vão querer ser felizes. Queria entender o quão a policia militar de tão agradável carreira e de grande perspectiva alcance, não deixa um indignado e sofrido policial civil ser feliz ... Será inveja ou discordia ou será COMPRA DE VOTOS por parte de certos comentários? Senhor deputado.

Anônimo disse...

Queria Saber do Senhor o porque tanta indignação, se um soldado de 2ª classe da PM hoje que exige apenas o nível médio para ingresso recebe 4 mil inicial enquanto um Investigador onde se exige nível superior o salário inicial é pouco mais de 2 mil?

Segurança pública em Minas é uma piada, nem um morto de fome faria estudaria um ano ou dois para ser policial civil numa instituição sucateada com salário muito aquém do cargo.

Lamentável o que o Governo de Minas faz com a instituição da PC.

Anônimo disse...

Além da valorização interna entre os cargos da pc, entendo que o cargo de Escrivão de Polícia goza de muito mais atribuições do que a de Perito e de Investigador e até de Delegado. Fato é que o Escrivão é o responsável direto por reunir os elementos de investigação no inquérito policial, realiza diretamente interrogatórios, autos de apreensão, restituição, requisição de perícias, guarda de materiais, armas, dinheiro e drogas dentro do cartório. Além de cuidar da parte burocrática, administrativa e livros da repartição. Cuida dos prazos dos ips; sem algo vence ou some da repartição, o EP é o servidor a ser cobrado. Sem contar que o Escrivão ainda participa de operações, mandados de busca, condução de viaturas, faz boletins reds quando necessário, convenhamos funções infinitamente maiores do que o dos investigadores, geralmente vinculados a escolta de presos e realização da comunicação de serviço e boletim reds.
Portanto, nesta linha, embora defenda a justa equiparação interna, deveria o escrivão merecer um adicional, além do salário. Em alguns Estados por exemplo a remuneração é inclusive distinta entre agentes e escrivães.