16 de setembro de 2015

DEP. CABO JÚLIO INTERMEDIA REUNIÃO COM GOVERNO E SERVIDORES ADMINISTRATIVOS DA POLÍCIA CIVIL PARA OUVIR REIVINDICAÇÕES DA CATEGORIA

Comissão de Direitos Humanos debate a situação dos servidores administrativos da Polícia Civil de Minas Gerais e dos servidores públicos da área da saúde

O Deputado CABO JÚLIO, vice-líder do governo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), irá se reunir com representantes da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag/MG), com a chefia da Polícia Civil e com a Comissão formada para representar os servidores administrativos da Polícia Civil. A reunião marcada pelo deputado será no dia 24 de setembro (quinta-feira), às 10h, na própria Seplag.

O anúncio aconteceu na manhã desta quarta-feira (16/09) durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos da ALMG que debateu a desigualdade legislativa que os servidores administrativos da Polícia Civil possuem em relação aos servidores estritamente policiais. A reunião também discutiu a situação dos servidores públicos da área da saúde.

Comissão de Direitos Humanos debate a situação dos servidores administrativos da Polícia Civil de Minas Gerais e dos servidores públicos da área da saúde
Tânia Alves - representante dos servidores administrativos da PC.
Segundo a analista da Polícia Civil e membro da comissão que representa a categoria, Tânia Alves, foi uma ideia muito boa do deputado CABO JÚLIO. ''Agora podemos nos reunir com todos representantes, tanto da PC, do legislativo, como da Seplag'', disse. De acordo com a analista, os servidores querem reestruturação e valorização na carreira.

A categoria está dividida em duas classes. São 390 servidores antigos e 1.280 novos servidores. Um grupo trabalha 30 horas semanais, outro grupo trabalha 40 horas. Os novos servidores começam a trabalhar ganhando mais que os servidores antigos. São 12 anos sem aumento salarial. Eles foram condicionados a contagem de tempo, segundo Tânia. "Um servidor antigo, para se aposentar no último grau e no último nível, precisa trabalhar quase 50 anos ininterruptos", lembrou. Ela afirma que a defasagem salarial é muito grande em uma mesma unidade da PC onde trabalham policiais civis e administrativos por escolaridade. Enquanto um técnico ganha R$ 1.500, um escrivão de mesmo nível ganha R$ 4.500. Já um analista ganha cerca de R$ 2 mil, enquanto um perito recebe R$ 7.500, ainda em nível médio.

"A defasagem é tão grande, que os candidatos aprovados em concurso público não tomam posse quando percebem a situação da categoria. São 52% de técnicos que não tomam posse e 59% de analistas na mesma situação. Enquanto tiver essa situação não vamos preencher o quadro nunca.", garantiu

O deputado CABO JULIO disse que no governo passado, não conseguiram inserir os servidores administrativos na Lei Orgânica da Polícia Civil. Segundo ele, sendo oposição, não tinham a maioria para atender ao pleito da categoria. "O quadro agora mudou e, em razão disso, há como dar prosseguimento nas reivindicações", salientou. 

O parlamentar lembrou das conquistas do servidores administrativos da Secretaria de Defesa Social (Seds) em julho desde ano quando intermediou as reivindicações. Foram várias reuniões com as categorias até a sanção, pelo Governador de Minas, da Lei 21.715, que concede reajuste salarial.

''Se os servidores administrativos tivessem tido o mesmo aumento salarial que as carreiras dos policiais civis tiveram ao longo do tempo, não haveria essa defasagem tão grande'' afirmou. 

Depois de uma conversa com o Chefe de Polícia Civil, CABO JÚLIO disse que a própria instituição apoia e concorda com o pleito da categoria. "É preciso saber a posição da PC, pois não adianta revindicar sem ter parceiros para solucionar", resumiu. 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

7 comentários:

Anônimo disse...

Curioso notar que os ASPM passam pela mesma defasagem salarial em relação aos militares administrativos (realizando mesmas atribuições, diga-se de passagem) e não há ninguém para olhar por estes servidores.

Anônimo disse...

Gostaria de parabenizar o deputado pela iniciativa de abraçar a causa dos administrativos da PCMG,que tem atribuições similares com os administrativos da PMMG, contudo recebem bem menos.

Anônimo disse...

Cadê o cronograma do concurso asp 2013? Como sempre suas historinhas né, mas uma hora o povo acorda como eu já acordei,e hoje tenho outra visão ao seu respeito!

Anônimo disse...

Cadê o cronograma que prometeram?enganadores políticos me dão nojo

Shirlei Ferreira disse...

Todos aqui tem direito a manifestações. Porém venho salientar que a luta dos administrativos da PCMG não é de ontem. Desde de 90 estamos na luta por melhorias na nossa classe. O que vcs imaginam trabalhar na policia desempenhando as mesmas atribuições e sofrer discriminação salarial e as vezes até assedio moral. Tem colegas nossos que são técnicos e desempenham função de auxiliar necrópsia, função que seria do investigador.
Desta forma agradeço ao Cabo Julio por intermediar nossa reivindicação, junto ao chefe de polícia e ao governo.

puma castro disse...

Estou muito satisfeito por nosso ilustríssimo sr deputado cabo Julio abracar nossa causa tenho esperança de alcançarmos a vitória precisamos sim, sermos valorizados como servidores da gloriosa Polícia Civil, porque do jeito que tá não da! temos direitos e deveres mas no nosso caso temos apenas deveres, se fizermos algo de errado ou coisa do gênero seremos punidos pela corregedoria, mas nossos direitos aí não, porque somos discriminados como servidores comum temos sim deveres mas também pleiteamos nossos direitos chega de tanta desordem.

Renato Diniz disse...

Primeiramente quero agradecer ao Deus todo poderoso,que pode fazer infinitamente mais de tudo que pensamos ou falamos ou fazemos de acordo com o poder que opera em nós, aos nossos representantes Francisco, Tania e os demais que sempre lutaram em favor dos Administrtivos da Gloriósa Policia Civil MG.
E agora ao Deputado Cabo Júlio Julio pela brilhante atuação em nosso favor que Deus os abençoe ricamente!