O que você procura?

terça-feira, 10 de novembro de 2015

CASO DE BOMBEIRO MORTO EM ARAXÁ VAI A JULGAMENTO NO TRIBUNAL DO JÚRI

Cinco crimes são julgados na semana de julgamentos no Tribunal do Júri.

Julgamentos começaram segunda (9) e vão até sexta-feira (13).

Cinco casos de crimes contra a vida serão julgados em Araxá, no Alto Paranaíba, durante a semana de julgamentos no Tribunal do Júri da comarca, que acontece até sexta-feira (13). As sessões são abertas ao público. Entre os casos mais aguardados pela população está do sargento do Corpo de Bombeiro, Gislei Oliveira Reis, morto a tiros em 2012.

Os julgamentos são presididos pelo juiz da vara criminal de Araxá, Renato Zouain Zupo, e terão a participação dos promotores Genebaldo Borges e Fabio Valera, além do corpo de jurado escolhido minutos antes da abertura dos julgamentos.

De acordo com o Juiz Renato Zupo, o júri popular é a melhor forma, e mais democrática, de Justiça. “É a sociedade que julga o seu semelhante, é a manifestação mais democrática de justiça que se conhece dentro da Constituição Federal. O que fazemos é possibilitar esse acesso de maneira assídua e eficiente”, afirmou.

Julgamentos
Nesta segunda-feira (9) o caso que abriu a série de julgamento foi um homicídio ocorrido em junho de 2014, o réu Rafael da Silva foi denunciado pela morte de Luza Helena Rufino a facadas, depois de um desentendimento entre os dois.

Na terça-feira (10), o réu julgado é Antônio Marcos Pereira de Souza, acusado de matar Geovane Pereira Gomes com um golpe de faca em outubro de 2014 no bairro Aeroporto.

Na quarta-feira (11), o caso julgado é o do réu Carlos Eduardo Mota, acusado de matar a companheira de 20 anos a facadas no centro de Araxá, em 2013.

Já na quinta-feira (12) o réu Ezequiel Ferreira de Lima receberá a sentença pelo homicídio de Marcelo dos Reis Silva, morto por espancamento em junho de 2013.

Encerrando os julgamentos, na sexta-feira (13), será julgado o caso do sargento do Corpo de bombeiros, Gislei Oliveira Reis, morto a tiros em 2012. A acusada de cometer o crime é a ex-mulher da vítima, Kelly de Lima Alves Soares, que segundo investigações, teve a ajuda de um amante.

FONTE: G1
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: