O que você procura?

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

VIDEO: TORCEDORA É PRESA POR DESACATO EM VARGINHA

A advogada xingou e deu tapas em um militar após conflito entre torcedores

Um conflito entre torcedores do Guarani Futebol Clube terminou com uma torcedora presa na tarde desse domingo, em Varginha, no Sul de Minas. A advogada de 23 anos desacatou militares durante intervenção e tentativa da Polícia Militar (PM) de dispersar a briga. Ela acabou sendo empurrada por um policial. A corporação afirma que o homem foi agredido anteriormente. 

De acordo com a assessoria de imprensa da PM, a rixa entre os torcedores começou antes do jogo entre o Boa Esporte e o Guarani, no Estádio Municipal de Varginha. Foi necessária intervenção da PM, que usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar a confusão.

Durante a ação, uma torcedora, de 23 anos, começou a xingar os militares. Em seguida, se aproximou de um deles e foi, então, empurrada, imobilizada, algemada e colocada no camburão da viatura onde, segundo os policiais, se debateu, dando chutes e cabeçadas na grade do veículo. Segundo a PM, a advogada parecia estar sob efeito de álcool ou de substância entorpecente.

A torcedora é de Campinas, em São Paulo, e foi até Varginha em um ônibus da torcida organizada do Guarani. Ela alegou ainda que os policiais teriam roubado sua carteira e seu celular, mas, já na delegacia, seu advogado relatou que os pertences da mulher estavam no ônibus.

A Polícia Civil informou que a mulher foi presa por desacato, mas liberada em seguida. Ela se dispôs a comparecer ao Juizado Criminal em Varginha quando solicitado.

FONTE: UAI

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

1 comentários:

Anônimo disse...

Este discurso de "eu sou advogado", "eu sou autoridade", "você sabe com quem está falando?", é postura de pessoas despreparadas e desenformadas. Na PMMG não tem nenhum analfabeto trabalhando, com todo respeito à quem não possui instrução. Pelo contrário, a maioria dos policiais são ou estão se graduando em Direito, bem como em outras competências. Então, se é pretensão tratar um profissional da segurança de igual para igual, faça com respeito, pois você será, de acordo com a lei, tratado da forma que merece.