O que você procura?

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

TENTA ROUBAR SODADO PM, LEVA TIRO E MORRE

Soldado foi abordado na altura do bairro Serra Verde e reagiu a assalto; após ser baleado, ladrão fugiu com comparsa, mas foi "jogado" em uma rua de Santa Luzia

Um homem, não identificado, morreu após uma tentativa de assalto a um militar à paisana, na noite dessa quinta-feira (6), na MG-010, na altura do bairro Serra Verde, na região Norte de Belo Horizonte. Após ser baleado pelo militar, o bandido ainda fugiu com o comparsa, mas foi abandonado pelo “amigo” logo depois.

O soldado de 32 anos, que trabalho no Batalhão Rotam, contou aos colegas de farda que trafegava pela rodovia em sua motocicleta quando, na altura de um viaduto, seu veículo foi emparelhado por outra moto. Com um revólver na mão, o garupeiro apontou a arma para o rosto da vítima e mandou que ela descesse da motocicleta.

Em seguida, o criminoso gritou que o motociclista tinha “perdido” e era para passar o veículo rápido. O militar tentou se afastar dos assaltantes e foi ameaçado. O criminoso que estava na outra moto pediu que um comparsa desse uma “geral” na vítima.

Ao perceber que o suspeito colocaria a mão em sua cintura, descobriria sua arma e, consequentemente, sua profissão, o soldado sacou a pistola 380 e efetuou três disparos. O ladrão que dava as ordens gritou para o garupeiro que tinha “sujado” e, nesse momento, o ferido subiu no veículo. Eles fugiram no sentido bairro São Benedito, em Santa Luzia, na região metropolitana da capital.

O militar comunicou o caso à corporação e solicitou apoio de viaturas. Durante o registro da ocorrência, policiais foram informados por populares que o garupeiro havia desembarcado da moto um pouco depois do local do crime. Já o outro suspeito continuou no veículo e fugiu no sentido bairro Morro Alto. Ele ainda não foi localizado.

O assaltante baleado foi encontrado por policiais e encaminhado ao Hospital Risoleta Tolentino Neves, mas não resistiu ao ferimento. Segundo a equipe médica, o bandido, que não portava nenhum tipo de documento, foi atingido com um disparo na região pélvica, e a causa da morte pode ter sido hemorragia interna.

O soldado não ficou ferido. Sua arma, que estava devidamente registrada, foi recolhida pela corporação e um procedimento interna será aberto para apurar o caso.
FONTE: OTEMPO
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: