19 de janeiro de 2015

MORRE POLICIAL MILITAR BALEADO EM JUIZ DE FORA

Informação foi confirmada pela assessoria da Secretaria de Saúde.
Segundo a PM, dois suspeitos foram detidos; um terceiro está foragido.

Morreu na tarde de domingo (18) o policial militar baleado na madrugada de sábado (17) no Bairro Estrela Sul, em Juiz de Fora. Ele estava internado no Hospital de Pronto Socorro (HPS). A morte foi confirmada pela assessoria da Secretaria de Saúde (SMS) e pelo Centro de Operações da Polícia Militar (Copom).

Segundo informações do Copom, dois suspeitos já foram identificados e detidos. Um homem de 49 anos, detido na noite de sábado (17), e o filho dele, de 28, detido neste domingo, ambos no Bairro Santa Cecília. Ainda segundo o Copom, as buscas continuam por um terceiro suspeito de participação no crime, que está foragido.

Também de acordo com o Copom, a informação inicial é de que o policial militar foi baleado durante uma tentativa de assalto na esquina das ruas Luz Interior e Pétala Misteriosa. A vítima foi atingida por três disparos e levada para o HPS.

De acordo com o Copom, o policial militar era um sargento de 44 anos, que pertencia aos quadros do 27º Batalhão e trabalhava na 32ª Companhia da PM, no Bairro Santa Luzia. O corpo será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), no Bairro Granbery. Ainda não há informações sobre velório e sepultamento. O caso será encaminhado para investigações da Delegacia Especializada de Homicídios, em Juiz de Fora.

FONTE: G1
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

1 comentários:

SANDRO CAMPOS disse...

.... em toda a minha carreira policial. Nestes encontros e desencontros com toda sorte de torpezas e malezas dessa profissão ingrata, conheci pessoas cuja as causas intrínsecas em sua natureza humana, nunca foram falíveis de admiração e esmero. Com o colega Augusto trabalhei na 30 Cia PM, depois nossos caminhos foram adversos porém sempre por ai. Uma pessoa que simplesmente em uma estatística de 1 milhão para um, seria impossível de se ver na historia da vida dele, uma possibilidade com um fim como esse! Morto a tiros por marginais! Uma natureza tão pacifica q foi incapaz de reagir mesmo estando armado! Pois não havia nele estímulo a violência! Nem da pessoa humana nem das características da profissão. Foi-se uma vida e se foi mais um daqueles q no cotidiano era algo produtivo nessa sociedade! Mas o q estarrece e indigna a este e talvez muitas das vitimas inocentes, ao qual, o descumprimento da lei batem a sua porta é sempre o mesmo! DOIS DOS ENVOLVIDOS NO CRIME FORAM LIBERADOS POR NÃO ESTAREM EM FLAGRANTE! Ou seja: "- A VIDA VALE A PRISÃO DE UMA SEPULTURA E MATAR É FRANQUIA DE LIBERDADE!"