O que você procura?

terça-feira, 14 de abril de 2015

POLÍCIA CIVIL DESMONTA ESQUEMA DE FRAUDES DE R$ 3 MIL, EM CONTAGEM

Fachada empresa que cometia golpes contra fornecedores, em Contagem, na Região Metropolitana (Foto: Polícia Civil/Divulgação)Empresa lesou ao menos 17 fornecedoras de equipamentos de segurança. Até o momento, um casal de suspeitos foi preso na operação de quinta.

A Polícia Civil divulgou, nesta segunda-feira (13), que desmontou um esquema de golpes contra fornecedores de equipamentos de segurança, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com o delegado Wagner Sales da 6ª Delegacia de Fraudes, os donos da distribuidora Autenthica causaram um prejuízo de cerca de R$ 3 milhões a empresas de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. Na operação de quinta-feira (9), duas pessoas foram presas suspeitas de participar da organização do crime.

Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), a supervisora financeira Kênia Giraldi, de 35 anos, foi conduzida ao Ceresp Centro-Sul, em Belo Horizonte, em 10 de abril. No dia seguinte, ainda de acordo com a Seds, ela recebeu alvará de soltura.

Já Dilson Veneziano Filho, de 52, que atuava como representante comercial, está preso em Bicas I, em São Joaquim de Bicas, na Região Central de Minas. Sales afirmou que entrou em contato com os supostos donos da empresa, Ernesto Augusto Queiroz e Fabrício Cortês Menezes. Contudo, eles ainda não se apresentaram para prestar esclarecimentos. Os quatro podem responder pelos crimes de fraude e formação de quadrilha.

De acordo com a polícia, a distribuidora revendia os produtos com preço abaixo de mercado, mas não repassava o valor que devia aos fornecedores. O esquema é conhecido como Laranja Mecânica, segundo o delegado.

Sales informou que a Autenthica, localizada no Bairro Praia, em Contagem, trabalhou por cerca de dois anos de forma correta com os fornecedores. "Isso é comum, porque eles ganham a confiança deles e depois começam a aplicar os golpes", explica. O emprésário Claúdio Rocha afirmou que se sentiu traído pelos donos da empresa. " Eles fizeram um pedido de compras maiores de todos os fabricantes. O que gerou entre nós uma desconfiança. Entretanto, pela idoneidade passada por eles, as mercadorias foram entregues (a Authentica)", detalhou. Até o momento, foram identificadas 17 vítimas do esquema.

FONTE: G1
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: