O que você procura?

quinta-feira, 9 de julho de 2015

LADRÃO ''ARREPENDIDO'' DEVOLVE MOCHILA E PEDE DESCULPAS EM BILHETE

Pertences da vítima foram devolvidos dois dias após o assalto; 'só roubei a senhora porque estava passando necessidade', escreveu o assaltante

Bilhete desculpas assalto

Cartões do banco, documentos, uma apostila, um caderno e um bilhete com um pedido de desculpas. Estes foram os objetos que a auxiliar de serviços gerais Eva da Silva Alves, de 36 anos, conseguiu recuperar depois que sua mochila foi devolvida por um ladrão “arrependido”, na última sexta-feira (3).

“Só roubei a senhora porque estava passando necessidade. Eu fui mandado embora do emprego. Quase chorei quando vi os pães na mochila e a foto dos seus filhos pequenos. Sei que não justifica meu erro, mas não tinha intenção em lhe machucar”, disse o recado escrito na primeira página do caderno da auxiliar de serviços gerais, seguido de um pedido desculpas.

Eva foi assaltada no dia 1º de julho, na rua de casa, no bairro Jardim dos Comerciários, na região de Venda Nova. “Ele me abordou, mostrou alguma coisa na cintura e disse ‘não corre, não grita e passa a grana’. Aí ele pegou a minha mochila e desceu a rua”, contou. Desesperada e chorando muito, Eva chegou em casa e foi amparada pelos familiares. Dentro da mochila estava um trabalho escolar pronto, que precisava ser entregue para que ela conseguisse fazer uma prova importante no curso supletivo.

“Eu pedi a Deus para tocar no coração dele, pelo menos para devolver o trabalho, que eu precisava muito”, lembrou. E o pedido foi atendido. Um dia depois de registrar o boletim de ocorrência, Eva recebeu uma ligação inesperada.

“Na sexta, por volta de meio dia, um funcionário de uma creche aqui perto me ligou dizendo que tinham encontrado uma sacola com algumas coisas e que o ladrão tinha escrito um bilhete”, conta a auxiliar de serviços gerais, que foi localizada pela equipe da creche porque entre os documentos dela havia um contracheque.

“Fiquei muito feliz. Ontem (nessa terça-feira) eu entreguei o trabalho. Sem ele não tinha como fazer a prova”, contou Eva, que fará o exame na noite desta quarta-feira. “Os celulares ele não devolveu, mas devolveu os dois chips (dos celulares), meus documentos pessoais, meu caderno e a apostila”, contou.

Apesar do trauma causado pelo assalto, Eva disse que está mais tranquila e que aceita as desculpas do assaltante. “Perdoei sim. Eu peço a Deus que ele arrume um serviço para que não faça isso com mais ninguém”, afirmou.

FONTE: O TEMPO



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: