O que você procura?

quarta-feira, 8 de julho de 2015

MINAS E MAIS TRÊS ESTADOS SÃO ALVOS DE OPERAÇÃO CONTRA TRÁFICO DE DROGAS

Minas e mais três estados são alvo de operação contra tráfico de drogas

A Polícia Federal realizou nesta quarta-feira (8) uma ação contra uma organização criminosa especializada em tráfico internacional de drogas em Minas Gerais e em outros três estados. A operação Hybris cumpriu 36 mandados de prisões preventivas, quatro de prisões temporárias e 48 de busca e apreensão.

Segundo a corporação, a quadrilha era atuante nos municípios de Pontes e Lacerda/MT e movimentava vultosas quantias de dinheiro, além de utilizar uma marca para atestar a qualidade da droga comercializada em vários estados e na Europa.

Cerca de 220 policiais federais participam da Operação, que conta com o apoio do Exército Brasileiro e da Polícia Rodoviária Federal. A ação foi realizada prioritáriamente nos municípios mato-grosseA Polícia Federal realizou nesta quarta-feira (8) uma ação contra uma organização criminosa especializada em tráfico internacional de drogas em Minas Gerais e em outros três estados. A operação "Hybris' cumpriu 36 mandados de prisões preventivas, quatro de prisões temporárias e 48 de busca e apreensão.

Segundo a corporação, a quadrilha era atuante nos municípios de Pontes e Lacerda/MT e movimentava vultosas quantias de dinheiro, além de utilizar uma marca para atestar a qualidade da droga comercializada em vários estados e na Europa.

Cerca de 220 policiais federais participam da Operação, que conta com o apoio do Exército Brasileiro e da Polícia Rodoviária Federal. A ação foi realizada prioritariamente nos municípios mato-grossenses de Cuiabá, Cáceres, Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade, e nos estados de São Paulo, Tocantins e Minas Gerais.

Também foram apreendidos bens de alto valor, veículos, fazendas, apartamentos, casas, aeronaves, armas e dinheiro em espécie, frutos da atividade criminosa e utilizados nas atividades do tráfico de drogas.

O inquérito policial foi iniciado em 2013, por meio de informações de inteligência coletadas durante a Operação Sentinela do Ministério da Justiça, que identificou um grupo criminoso com características de organização criminosa dedicada ao tráfico de drogas atuando no município de Pontes e Lacerda/MT e circunvizinhanças. Foi apurado que ele era responsável por frequentes carregamentos de cocaína oriunda da Bolívia para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Maranhão, Goiás, Pará, Maranhão e para Europa.

Durante a investigação foram apreendidas cerca de quatro toneladas de cocaína e dois milhões de dólares americanos, em quinze ações policiais que resultaram nas prisões em flagrante de 32 pessoas, materializando assim a atuação do grupo, muito embora se estima que fossem comercializadas até três toneladas da droga ao mês.

Para atestar a qualidade do produto, os criminosos rotulavam a droga com a imagem de um herói de histórias em quadrinhos, seguida de uma palavra que identificava o grupo criminoso. Essa “logomarca” é uma referência ao líder da organização, existindo outras apreensões de drogas no país e no exterior com esta marca, mas não relacionadas à operação "Hybris".

Também foi apurado que a organização criminosa é fortemente estruturada e hierarquizada, com liderança firme e divisão de tarefas, incluindo a participação de casas de câmbio para a compra de dólares utilizados na negociação e a adoção de práticas violentas para aterrorizar inimigos e moradores da região de fronteira. Além disso, o grupo possui ligações políticas que culminaram na utilização de empresas fantasmas e contratos com órgão público municipal para lavar o dinheiro obtido com o tráfico.

O nome da operação remete a um conceito grego que pode ser traduzido como "tudo que passa da medida, “descomedimento" e que atualmente alude a uma confiança excessiva, um orgulho exagerado, presunção, arrogância ou insolência, que com frequência termina sendo punida.nses de Cuiabá, Cáceres, Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade, e nos estados de São Paulo, Tocantins e Minas Gerais.

Também foram apreendidos bens de alto valor, veículos, fazendas, apartamentos, casas, aeronaves, armas e dinheiro em espécie, frutos da atividade criminosa e utilizados nas atividades do tráfico de drogas.

O inquérito policial foi iniciado em 2013, por meio de informações de inteligência coletadas durante a Operação Sentinela do Ministério da Justiça, que identificou um grupo criminoso com características de organização criminosa dedicada ao tráfico de drogas atuando no município de Pontes e Lacerda/MT e circunvizinhanças. Foi apurado que ele era responsável por frequentes carregamentos de cocaína oriunda da Bolívia para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Maranhão, Goiás, Pará, Maranhão e para Europa.

Durante a investigação foram apreendidas cerca de quatro toneladas de cocaína e dois milhões de dólares americanos, em quinze ações policiais que resultaram nas prisões em flagrante de 32 pessoas, materializando assim a atuação do grupo, muito embora se estima que fossem comercializadas até três toneladas da droga ao mês.

Para atestar a qualidade do produto, os criminosos rotulavam a droga com a imagem de um herói de histórias em quadrinhos, seguida de uma palavra que identificava o grupo criminoso. Essa “logomarca” é uma referência ao líder da organização, existindo outras apreensões de drogas no país e no exterior com esta marca, mas não relacionadas à operação Hybris.

Também foi apurado que a organização criminosa é fortemente estruturada e hierarquizada, com liderança firme e divisão de tarefas, incluindo a participação de casas de câmbio para a compra de dólares utilizados na negociação e a adoção de práticas violentas para aterrorizar inimigos e moradores da região de fronteira. Além disso, o grupo possui ligações políticas que culminaram na utilização de empresas fantasmas e contratos com órgão público municipal para lavar o dinheiro obtido com o tráfico.

O nome da operação remete a um conceito grego que pode ser traduzido como "tudo que passa da medida, “descomedimento" e que atualmente alude a uma confiança excessiva, um orgulho exagerado, presunção, arrogância ou insolência, que com frequência termina sendo punida.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: