21 de setembro de 2015

ADOLESCENTES QUE MATARAM DELEGADO EM BH TÊM HISTÓRICO DE CRIMES

Enterro do delegado 
De acordo com a Polícia Civil, eles já foram apreendidos anteriormente por uso e tráfico de drogas. Corpo do policial foi enterrado neste domingo no Cemitério Bosque da Esperança.

Os dois adolescentes que mataram o delegado Vanius Henrique de Campos, nesse sábado em uma loja de conveniência no Bairro Cidade Jardim, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, já têm históricos de crimes. Segundo a Polícia Civil, os menores já foram detidos outras vezes na capital mineira. O corpo do policial foi enterrado no fim da manhã deste domingo no Cemitério Bosque da Esperança. Colegas fizeram uma salva de tiros e ligaram sirenes das viaturas em homenagem. 

A Polícia Civil continua as buscas pelos dois adolescentes. Um alerta foi emitido para cidades mineiras e até de outros estados para evitar a fuga da dupla. O chefe da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), Osvaldo Wiermann Júnior, os garotos já foram detidos anteriormente. “Eles já têm histórico de apreensão pela polícia por uso de drogas e tráfico”, explica. 

De acordo com o delegado Wanderson Gomes da Silva, chefe da Polícia Civil, a operação não parou desde momentos depois do crime. “As investigações seguem e as diligências estão ininterruptas. Continuamos as buscas em várias frentes para tentar encontrar os dois adolescentes”, afirmou. “Estamos aguardando posicionamentos da Justiça em relação aos criminosos”, completou. 

Desde o início da manhã deste domingo, o cemitério Bosque da Esperança teve uma grande movimentação. Centenas de policiais civis, guardas municipais, agentes da Polícia Federal, além de familiares e amigos, lotaram o velório, que começou às 7h. O caixão começou a descer 10h35 sobre os aplausos dos presentes. Cinco minutos mais tarde, colegas de corporação fizeram uma salva de tiros e ligaram as sirenes das viaturas. 

A imprensa foi impedida de entrar no local. Colegas de profissão lamentaram o assassinato. “Todo mundo está lamentando essa morte que foi estúpida e covarde. Perdemos um colega que era muito querido e engajado”, afirmou o delegado Rodrigo Bossi. Para ele, o crime reflete um problema da sociedade brasileira. “A morte desse delegado vai além do crime e passa por problemas sociais. Essa é a desvalorização da vida e desrespeito à autoridade”, criticou o delegado antes de entrar no Cemitério Bosque da Esperança para fazer as últimas homenagens ao colega.

FONTE: UAI

CRIMINOSO DÁ VOADORA EM DELEGADO QUE CAI NO CHÃO JUNTO COM A ARMA

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

1 comentários:

Jair Nunes Kardoso disse...

Agora eles vão passar três anos de boa até a Poeira se assentar,depois vão sair já Habilitado até mesmo em outros crimes como assalto á Bancos e outros mais Perigosos,enquanto que a Família do Delegado que pagava em dia seus Impostos,andava do lado da LEI,choram a perca do Homem de bem.
E o que é pior de tudo é que os Familiares do Delegado ainda vão ajudar tratar desses Vagabundos dentro da Instituição em que eles tiverem passando a temporada de férias de três anos que vão passar.É sim Brasil sem Lei.