O que você procura?

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

POR QUE O CABO JULIO NÃO MERECEU AS VAIAS NO COPM: POR CORONEL EDGAR SOARES


Por sua participação na greve de 97 o Cabo Júlio foi levado ao Conselho de Disciplina a presidente do mesmo era a então Cap Nilma.

A pedido do tio de Júlio, Cap. Nolasco fui testemunha de defesa. Foi-me feita a pergunta se a participação do Cabo Júlio seria transgressão disciplinar.

Respondi que à luz fria do regulamento, seria, mas que a greve teve seu começo em 1989, quando o então CG , Cel Braga Jr, aceitou , para o Chefe do GM ,Chefe do EM e para o CG, salários de secretário de estado, 3 vezes superior ao dos Coronéis. O resultado foi pela exclusão, por 3 X 0. Consta dos autos minha declaração.

Posteriormente , quando das eleições de 98, fiquei no PMDB, responsável pela campanha de militares em BH. Era secretário adjunto municipal de Esportes. Levei os Cabos Júlio e Moraes e mais o Sgt Rodrigues ao então senador eleito José Alencar.

O mesmo auxiliou nas 3 campanhas. Para o segundo turno o candidato a governador Itamar Franco, através de sua assessoria me pediu o apoio do Cabo Júlio, eleito com 217 mil votos.Conversei com ele. Sua resposta foi a seguinte:

"Cmt, estou voltando de Brasília, e o Deputado Walfrido Mares Guia me ofereceu o que eu quiser para apoiar Eduardo Azeredo, no segundo turno. Diga ao Itamar que eu o apoio, mas quero a anistia e a reintegração de meus colegas excluídos. E que assim o apoio, depois de uma manifestação, do mesmo, por escrito".

O manifesto foi feito , após 03 rascunhos. Participei, junto com os coronéis Aníbal e Edevar e o Capitão Nolasco. Esses contatos foram levados ao conhecimento do CG, escolhido por Itamar, o Cel Mauro Lúcio, que não aceitou reintegração, visto que seria pressionado pelos demais coronéis da ativa. Daí a reintegração dos excluídos no Corpo de Bombeiros. Porque esclareço a história? Porque o Cabo Júlio foi honesto com seus companheiros, e a PMMG desconhece este fato. Ele fez pela PM sim, em outros tempos, enquanto ainda era PM. Hoje ele é político. A maioria dos PMs da ativa, com menos de 08 anos , conhece a história da greve de 97. Reputação é o que pensam de você. Consciência é o que você pensa de si mesmo.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

1 comentários:

Marcos Zambalde disse...

Sem dúvida alguma o Deputado Estadual Cabo Julio não era merecedor das vaias, pois jamais alguém em toda história da PMMG fizeram tanto pela Instituição como ele e os demais policiais militares (Sargento Rodrigues e Sub Ten Gonzaga).
Portanto, são merecedores da nossa gratidão e respeito, porém devemos acompanhar suas ações e relações nesse mundo complexo da política brasileira. O Cabo Julio errou quando era Deputado Federal e lhe foi dado uma chance. Infelizmente os amigos do Movimento de 1997 hoje são inimigos políticos, talvez por ideologias diferentes, mas o que interessa e que tenham plena consciência de que política deve estar a serviço da vida, do bem comum, da justiça. Esperamos que um dia os dois deputados mineiros possam relembrar a história e fumar o cachimbo da paz, pois a vida passa muito rápido. Felicidades a todos os protagonistas da história da PMMG e que a instituição possa crescer cada vez mais e ser uma instituição de todos e para todos.