O que você procura?

quinta-feira, 18 de maio de 2017

POLÍCIA PRENDE SUSPEITO DE ASSALTAR E ARRASTAR MULHER NO SÃO LUCAS

preso arrastarSegundo a polícia, comparsa já foi identificado, mas segue foragido

A Polícia Militar (PM) prendeu nesta quarta-feira (17) Glaycon da Silva Souza, 26, um dos suspeitos de arrastar, em uma moto, a fisioterapeuta Suzana Barcelos, 32, durante um assalto no bairro São Lucas, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, no dia 8 deste mês. De acordo com a PM, o segundo suspeito já foi identificado, mas ainda não foi preso. A polícia apura possível ligação da dupla com uma gangue que atua na região.

Souza foi preso em casa, no aglomerado da Serra, após denúncia anônima. Embora negue envolvimento no caso, a polícia informou que a motocicleta, o capacete e o casaco utilizados no crime foram encontrados na residência. No local também foram apreendidos R$ 800 em dinheiro, uma arma, um canivete, cinco relógios, um computador, quatro celulares, cordões de ouro e outra moto, de procedência duvidosa.

Suzana foi abordada na porta de casa por dois homens que estavam em uma moto. Segundo a Polícia Militar, Souza, que estaria na garupa, agarrou a mochila da fisioterapeuta e arrastou a mulher por vários metros até que o objeto se desprendesse do seu corpo. Ele também agrediu a vítima com coronhadas e socos.

A PM informou que Suzana ainda se encontra no hospital e que fará o reconhecimento do suspeito por fotos. Glaycon da Silva Souza foi encaminhado para a 3ª Delegacia da Polícia Civil, no Barro Preto, na região Centro-Sul da capital.

Gangue. De acordo com o tenente Mauro Lúcio, há indícios de que o suspeito faça parte da gangue Bonde dos Ladrões (BDL), acusada de cometer crimes na região Centro-Sul e no centro. “Suspeitamos que sejam cerca de 20 pessoas. Eles, geralmente, utilizam motos para cometer os crimes”, explicou. Ainda segundo o policial, quatro integrantes da quadrilha já foram presos.

Violência. Os índices de roubos e homicídios registrados no Estado aumentaram na comparação do ano passado com 2015, conforme dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp). Com relação aos assaltos, o número passou de 114.061 para 131.227 – um crescimento de 15%. Isso significa que, em média, 359 pessoas são roubadas por dia em Minas. Já os assassinatos passaram de 4.032, em 2015, para 4.042 no ano passado. A média é de 11 homicídios por dia no Estado. 

‘A vida está banalizada’, diz sociólogo

Para o sociólogo Moisés Augusto, estudioso da área de segurança pública e professor da PUC Minas, o aumento da criminalidade no Estado reflete a banalização da violência no país.

O brasileiro tem convivido com roubos em várias esferas. Com isso, roubar passa a ser algo natural. Além disso, vemos a degradação das relações de convivência e o aumento da cultura do ‘vale quem tem mais’. As pessoas banalizam a vida por causa das relações e matam para ter o que acham que precisam”, avaliou.

FONTE: O TEMPO
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: