O que você procura?

quarta-feira, 4 de março de 2015

AUDIÊNCIA PÚBLICA VAI APURAR DENÚNCIA DE ASSÉDIO SEXUAL CONTRA PFEMS DO 46º BPM

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) vai apurar, em audiência pública, denúncia de assédio sexual, constrangimento ilegal e de violação dos direitos e garantias fundamentais contra duas policiais militares lotadas no 46º Batalhão de Polícia Militar, em Patrocínio. O requerimento, aprovado na manhã desta quarta-feira (04), é de autoria do Deputado CABO JÚLIO, vice-líder do governo.

Segundo as denúncias, 9,5 foi a nota que uma das militares, a sd. M., recebeu de seu superior, na Avaliação Anual de Desempenho e Produtividade – AADP. No ano seguinte, em 2014, exercendo a mesma função e após recusar aos constantes assédios, foi avaliada pelo mesmo oficial com nota 7,74. Há indícios evidentes de cometimento de crime por parte dos oficiais da unidade.

CABO JÚLIO tomou conhecimento do fato no ano passado e no dia 28 de maio a mesma Comissão aprovou outro requerimento nº 8.163/14 solicitando a abertura de Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar os supostos crimes. E como desdobramento do requerimento, foi enviado ofício 2.162/14 à Secretaria de Estado da Casa Civil e de Relações Institucionais. Em razão da falta de resposta, o parlamentar solicitou audiência pública que acontecerá no dia 25/03, convocando e não convidando os militares envolvidos. Veja relação abaixo.



 




Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

2 comentários:

JOAO FERREIRA LISBOA disse...

CADE PAD PARA ESSE OFICIAL, SE FOSSE PRAÇA JA ESTARIA NO JEQUITINHONHA, TEM QUE ENVIAR ELE NO FIM DO ESTADO,PAD NESSE SUJEITO.

Anônimo disse...

PAD??? EU ACHO QUE É UM PROCESSO CRIADO SÓ PARA PRAÇAS, POIS AQUI O EX COMANDANTE "FOI ENVIADO" PARA OUTRO MUNICÍPIO APÓS TRÊS DENÚNCIAS FORMAIS QUE TRAMITAM NA JUSTIÇA COMUM, FOI ACIONADO NA ALMG E NA CÂMARA MUNICIPAL E NÃO COMPARECEU (EM DEZEMBRO 2014), VÁRIAS DENÚNCIAS A ALGUNS DEPUTADOS, EVENTOS SOBRE ASSÉDIO MORAL, ASSÉDIO SEXUAL, IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, DIFAMAÇÃO, ETC. HOUVE ESCÂNDALO NA MÍDIA ESCRITA E FALADA... E NADA DE PAD. AGORA O CIDADÃO É CHEFE DA P1 DA REGIÃO INCLUSIVE. SÓ JESUS NA CAUSA!!!