11 de dezembro de 2015

COMISSÃO COMPOSTA POR CABOS DA PM DE 2009 REIVINDICAM O DIREITO DE FAZEREM O CEFS EM 2016


Uma comissão composta por Policiais Militares se reuniram na tarde de ontem, quinta-feira (10/12), com o Deputado CABO JÚLIO, vice-líder do Governo na ALMG, para reivindicar o direito de fazerem o Curso Especial de Formação de Sargentos (CEFS) em 2016. Segundo os militares, a Polícia Militar não reconheceu os noves meses do Curso de Formação de Soldados para efeito de promoção. Eles ingressaram na PM no concurso de 1997, mas por causa do Movimento Reivindicatório da PMMG, só puderam fazer o curso de formação em 1998. Eles foram promovidos a cabo somente em 2009 por não ter sido computado os nove meses do curso. Se o Comando reconhecer esse tempo, cerca de 350 cabos serão beneficiados. 

O Deputado CABO JÚLIO irá elaborar um documento sobre o assunto que será apresentado ao Comandante-Geral da PM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

6 comentários:

alan disse...

E os Cabos do Bombeiro como ficam ai?

Fernando Nunes Marques disse...

E os Cabos de 2009 do curso de formação do ano de 1999, que deveria ter sido promovidos em abril e foram promovidos a cabo em dezembro de 2009, sendo prejudicado por este lapso temporal de 08 (oito) meses, tendo como computo para a promoção de sargentos a previsão somente para 2018 e não corretamente em abril de 2017.

veja isso também Sr. Cabo Julio

fernando disse...

E os Cabos de 2009 do curso de formação do ano de 1999, que deveria ter sido promovidos em abril e foram promovidos a cabo em dezembro de 2009, sendo prejudicado por este lapso temporal de 08 (oito) meses, tendo como computo para a promoção de sargentos a previsão somente para 2018 e não corretamente em abril de 2017.

veja isso também Sr. Cabo Julio

Anônimo disse...

Muito merecido este reconhecimento, nada mais justo que este representante de classe conceder-lhes
este direito. Afinal ja esta na hora do Cb Julio arregaçar as mangas, lutar e mostra benefícios em prol da nossa classe. Parabéns guerreiros por manifestarem um direito justo e tenho certeza que este representante que elegemos ira mostra o seu grande valor.

carlos messias disse...

Classe unida a nossa,sei? trabalharmos muito para certos políticos ai serem eleitos.. nós cabos de 2012, eramos da turma de 1997,voltamos em 2002 graças a um projeto de lei que um deputado ai criou e voltamos. eramos sim para sermos reconhecidos como a turma de 1997,e convocados para o cefs agora e fomos prejudicados. lembro muito bem que em dezembro de 2014 fomos recebidos pelo sr em seu gabinete e sr nos prometeu que assim que assumisse a cadeira lutaria pela nossa turma cfsd1997/ 2002. ate hoje nem um telefonema recebemos.. bravo, bravo.. em 2018 lembraremos disto.

Cristiano F Lina disse...

Ola,nobre deputado gostaria que o senhor apresentasse ao governador, ao cmte geral a quem de direito por favor entenda o raciocínio os soldados e cabos ficaram prejudicados em relação as demais graduações e postos na PMMG no quesito promoções poderia usa o mesmo parâmetro para todos posto e graduações como e na PMGO ficha de avaliação do soldado ao ten-cel .
Mas por ora vamos nos ater a classe que entendo que ficou mais prejudicada em termos de promoções soldados e cabos.
A pergunta qual estimulo essas duas graduações tem para desempenhar além;fora o amor pelo que faz ? lamentavelmente nada.
Porem ficha avaliativa seria uma forma de estimulo. e o agraciamento de poder ter uma carreira mais equilibrada e justa em relação as outras graduações e posta de nossa querida PMMG .
proponho que ambos soldados e cabos sejam colocados em almanaque se suas promoções aconteça da seguinte maneira :
1/3 dos soldados no quinto ano pós ingresso (levando em consideração ficha avaliativa pontual )
1/2 dos soldados restante da turma no sexto ano (levando em consideração ficha avaliativa pontual )
todo o restante dos soldados da turma no sétimo ano pelo critério de antiguidade.
Este mesmo mecanismo usado em relação aos cabos os 1/3 com cinco anos na graduação (levando em consideração ficha avaliativa pontual )
com seis anos na graduação de cabo os restante de 1/2 (levando em consideração ficha avaliativa pontual )
E aos sete anos os demais cabos por antiguidade.
A instituição ganharia um maior comprometimento com resultado, uma maior atenção do militar em seu condicionamento físico,uma preocupação com o intelecto direcionado a função, e uma maior satisfação profissional e pessoal .